Mais de 6 mil pessoas morreram vítimas de crimes violentos na Bahia em 2017

Em Ipiaú, foram registrados 31 homicídios (Foto: Giro Ipiaú)
6.200 morreram na Bahia em 2017 vítimas de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) – homicídio, latrocínio e lesão corporal seguido de morte. As informações divulgadas nesta quarta-feira (27), pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), referem-se ao período de 1º de janeiro a 25 de dezembro. Apesar do alto número, houve uma redução em comparação com 2016, quando foram contabilizadas 6.563 mortes. Apesar da redução no percentual em todo o estado, em Salvador, foram registrados 37 casos a mais do que em 2016. Ou seja, houve um acréscimo de 2,77% em comparação ao ano anterior. Já no interior da Bahia e na Região Metropolitana de Salvador (RMS) houve queda de 8,8% e 1,3%, respectivamente. O secretário da SSP, Maurício Teles Barbosa, afirma que reduzir os índices nessas regiões era a “principal meta” da pasta em 2017, já que em 2016 houve crescimento no número de ocorrências desse tipo no interior da Bahia e na RMS. Segundo o secretário,  cerca de 70% desses crimes são decorrentes do tráfico de drogas. “Enquanto o Brasil não tiver um Plano Nacional de Segurança Pública que combata na nascente a entrada de drogas e armas no país, as quadrilhas vão continuar tendo as inserções que têm hoje em todos os estados federativos”, disse. Em 2017, foram apreendidas mais de 16 toneladas de drogas na Bahia.