Jequié: Presos da 9ª Coorpin são transferidos para o presídio

Transferência ocorreu na tarde dessa terça-feira (Foto: Reprodução/Blog Jequié e Região
Todos os presos da Cadeia Pública do Complexo Policial de Jequié foram transferidos, em um micro-ônibus, para o Conjunto Penal da cidade, nesta terça-feira (20FEV18), por determinação da justiça. A mudança ocorre em razão das condições deploráveis em que se encontram a única cela da Delegacia de Polícia de Jequié. A mesma, com capacidade para abrigar duas pessoas, estava abarrotada com 22 presos e cujo espaço é considerado insalubre, conforme revelação do representante do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Estado da Bahia (Sindipoc), Agnaldo Cardoso, em entrevista concedida ao jornalista Ari Moura (Jequié FM 89,7), na segunda-feira, 19. Quem conhece o problema de perto afirma que o processo de degradação da Cadeia Pública é um reflexo da falta de zelo do governo do Estado com a área da segurança na Bahia. Não tem cabimento nenhum órgão sanitário, como a Vigilância Sanitária, ter tomado uma providência.
Cadeia com capacidade para 2 presos abrigava 23 detentos.
“A situação é insustentável também para quem trabalha no Complexo”, disse o diretor do Sindipoc, ao se referir a exposição dos agentes de polícia e os próprios delegados pelo iminente risco de uma rebelião. As pessoas que buscam os serviços ofertados pelo Complexo ficam assustadas com os gritos oriundos da cela, dividida, inclusive, por membros de duas facções rivais com atuação em Jequié e região. Também chama atenção o fato de a decisão da transferência dos presos da cadeia ter sido tomada pela mesma justiça que, dias desses, decidiu que o Conjunto Penal de Jequié não receberia mais presos provisório e o que lá existem deveriam ser levados para cadeias públicas, não levando em consideração que as mesmas estão em condições precárias em quase todas as cidades da Bahia. *Blog Jequié e Região