Opinião: A individualidade apequenou Neymar

Por Romário Henderson
O duelo mais esperado das oitavas de final da Liga dos Campeões colocou o Real Madrid na frente, depois de vitória por 3-1, de virada, contra o badalado Paris Saint-Germain, de Neymar. O melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo, fez uma partida mediana, mas foi muito eficiente e decisivo ao anotar dois gols. Aliás, o grande aperitivo do duelo se resumia a Ronaldo x Neymar, dois dos melhores do mundo. O craque português mais uma vez brilhou e foi decisivo, enquanto o astro brasileiro perdeu gols, foi improdutivo e, principalmente, individualista. Cavani e Mbappé que o digam, afinal, em inúmeras ocasiões deram opção para receber o passe, mas o brasileiro preferiu decidir as coisas sozinho e sempre fez a escolha errada. Restou ao francês e uruguaio esbravejar com gestos e palavras. Leia mais...