Praça Noé Bonfim: um recanto aconchegante no extremo sul de Ipiaú

Três árvores de pequeno porte, sendo as duas maiores em sua parte frontal, igual número de canteiros, alguns assentos, razoável estado de conservação. Este é o cenário da Praça Noé Bonfim, no extremo sul da Avenida São Salvador, proximidades do Parque de Exposições José Thiara.  O logradouro foi construído pelo prefeito Miguel Coutinho, no inicio da década de 1990, atendendo a uma indicação do vereador João Manga -PMDB- e alguns moradores da área. Na mesma ocasião foi fundado o posto de saúde homônimo que faz o pano de fundo da praça. Ambos foram assim batizados em homenagem a um médico que prestou relevantes serviços à população de Ipiaú  e  outros municípios da região. 
Apesar do tamanho reduzido o espaço cumpre perfeitamente a sua função social. É comum presenciar ali grupos de pessoas em animado bate-papo, jogando dominó ou mesmo comemorando algum evento festivo. Em uma das laterais da praça está a Capela de Santa Terezinha, vinculada à Paróquia de São Roque. O templo foi projetado pelo padre Francisco Xavier e construído sob o comando de Neco Pedreiro, experiente mestre de obras ,residente na Avenida São Salvador.  Ao lado da capela localiza-se a Escola Municipal Florentino Pinheiro. Na última gestão do prefeito Deraldino Araújo, o prédio do posto foi totalmente reformado e ampliado, passando a funcionar como Unidade de Saúde da Família, enquanto a praça ganhou nova pavimentação.
Clínico Geral
Dr. Noé Bonfim era clinico geral, tinha consultório junto à sua residência, na Rua Silva Jardim e  tornou-se uma pessoa muito querida na região, inclusive no município de  Itagibá onde foi pioneiro no exercício da medicina. Sua esposa Noêmia também entrou na história de Itagibá por ser a primeira professora formada da localidade. O casal morou em Ipiaú durante muitos anos e gerou quatro filhos: Aderbal, Alberto, Jacira e Noélia. Dr. Noé, nasceu em Jequié, no ano de 1909, e  morreu em Ipiaú na data de 28 de julho de 1989, com a idade de 80 anos. 

Epigramatista                        
O nome de Noé Bonfim é citado no livro “64: Um Prefeito, a Revolução e os Jumentos”, de Euclides Neto, como autor de epigramas que são pequenas composições poéticas que terminam num pensamento engenhoso ou satírico.  Euclides conta que em Ibirataia o prefeito José Prazeres adotara a medida de castrar os jumentos que escandalizavam nas vias públicas com suas ruidosas praticas sexuais.  “O emascular dos jegues em Ibirataia  deu epigramas. Doutor Noé Bonfim, de cá (de Ipiaú), mandou o seu para o prefeito José Passos Prazeres: - Ó, José, como és malvado/Se tens complexo não negues/Que triste Passos tu destes/Tirando os Prazeres dos jeques”-. De lá (de Ibirataia), o poeta Camil respondeu: - Ó, Noé, como é bondoso/Se és o da arca não negues/ Se achas errada a medida/Arranja um Bonfim aos jeques”. (Giro/José Américo Castro)