Criação de peixes cresce 49% na Bahia, revela IBGE

quinta-feira, setembro 27, 2018
Que os baianos gostam de consumir peixe, não é novidade. Mas fazer da piscicultura uma fonte de renda tem sido uma atividade nova para muitos produtores. A criação de peixes em cativeiro cresceu 49% na Bahia, de acordo com o IBGE. O desempenho fez o estado subir duas posições no ranking nacional dos maiores criadores, passando a ocupar a 11ª posição entre os estados que mais produzem. Foram produzidas 16 mil toneladas de peixes em cativeiro só no ano passado.

Os dados são da Pesquisa da Pecuária Municipal divulgada esta manhã pelo IBGE. O levantamento mostra ainda que um município baiano se destaca no cenário nacional da piscicultura. Em dois anos, Glória, no norte do estado, aumentou a produção 67,9%, e avançou da nona para a terceira posição entre os maiores produtores do Brasil.

A produção de alevinos, forma jovens de peixes, também cresceu 5,4% nos últimos dois anos no Brasil. Muita gente mantem a criação de alevinos para revender aos piscicultores ou para os aquicultores, que criam peixes em aquários. Os baianos respondem por 10,9% do mercado nacional.

Paulo Afonso, também no norte da Bahia, segue como maior produtor do Brasil, respondendo por 9,4% da produção do país. Foram mais de 112.795 milheiros de alevinos - quase 1 em cada 10 existentes no país. O volume de produção ajudou a Bahia a ocupar a segunda posição nacional, ultrapassando São Paulo no ranking.

Muito mais do que simples estatísticas econômicas, os dados revelam o crescimento de atividades pecuárias voltadas para os pequenos negócios. *Informações do CORREIO