Ex prefeito Deraldino diz que não homologou licitação vencida por empresa investigada pela PF

quarta-feira, novembro 07, 2018
O ex-gestor de Ipiaú, Deraldino Araújo, comentou nesta quarta-feira, 07, através de nota enviada à imprensa, sobre a Operação "Sombra e Escuridão", realizada na terça-feira (06) pela Polícia Federal em mais de 20 municípios do sul da Bahia, inclusive Ipiaú. 

O alvo da investigação é uma empresa vencedora da a Tomada de Preço 007/2015, processo licitatório realizado no ano de 2015, cujo objeto foi a contratação de empresa de engenharia para a construção do Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS – no Município de Ipiaú.

Na nota o ex-gestor afirma que ao perceber a falta de estrutura da empresa vencedora, "ao perceber a falta de estrutura da empresa vencedora, ora investigada, recomendou ao gestor a não homologar o citado processo. Passado algum tempo, com a ciência da não homologação, a empresa desistiu da obra". Confira abaixo a nota na íntegra:


NOTA DE ESCLARECIMENTO

"A Assessoria do ex-Prefeito de Ipiaú (Ba), Deraldino Alves de Araújo, vem a público esclarecer sobre a ação da Polícia Federal ocorrida nesta terça(06), na sede deste Município:

Confrontando com o que foi veiculado em meios de comunicação da cidade, que informaram ser a ação para apurar indícios de fraudes em processo licitatório, levamos ao conhecimento da população que a ação denominada "Sombra e Escuridão" deflagrada em diversos municípios da região, visa, exclusivamente, investigar a ação criminosa por parte de integrantes de uma determinada empresa que aplicou diversos golpes em prefeituras da nossa região. 

Infortunadamente, essa dita empresa sagrou-se vencedora do processo de licitação no ano de 2015, através da tomada de preço número 007/2015, para a construção da sede própria do Centro de Referência Especializado de Assistência Social - CREAS, no valor de R$ 351.451,20 (Trezentos e cinquenta e um mil e quatrocentos e cinquenta e um reais e vinte centavos).

Acontece que, à época do fato, a Secretaria de Administração do Município, ao perceber a falta de estrutura da empresa vencedora, ora investigada, recomendou ao gestor a não homologar o citado processo. Passado algum tempo, com a ciência da não homologação, a empresa desistiu da obra. Sendo assim, em ato contínuo, foi convocada a segunda colocada para assumir a construção referida. Afirmamos ainda, que, em referência ao processo licitatório em questão, nenhum valor foi repassado para a empresa investigada e nem mesmo para a empresa segunda colocada, haja vista, que diante da morosidade dos trâmites legais para não homologação e convocação da segunda colocada, não restou tempo hábil para nossa gestão executar mais essa importante obra, de mais um equipamento público na nossa cidade. Deixamos dinheiro em caixa, no valor de R$ 351.451,20 (Trezentos e cinquenta e um mil e quatrocentos e cinquenta e um reais e vinte centavos) para a atual gestão dar continuidade aos trâmites legais e prosseguimento da obra.

Levamos ainda ao conhecimento da população que sempre recebemos com respeito e tranquilidade os aceitáveis questionamentos e notificações da Justiça, visto que, nossa gestão durante os dois quadriênios (2009-2012 2013-2016) sempre primou pela seriedade e transparência na condução da administração pública municipal, nos restando estar muito tranquilos e conscientes que fizemos uma gestão justa e correta, apesar das dificuldades financeiras que encontramos na prefeitura e das graves e sem precedentes crises financeiras que o país atravessou, sempre cumprimos com nossas obrigações constitucionais, não atrasamos nenhum mês sequer os compromissos e os salários dos servidores municipais, assim como a nenhum fornecedor, honramos o compromisso e a confiança concedida pela população, promovemos inúmeros avanços na nossa cidade e deixamos nossa marca de obras e construções de diversos equipamentos em todos os bairros da nossa cidade, frutos de convênio com o Governo Federal e também com recursos próprios, tudo isso, sem nenhum apoio do Governo Estadual.

Destacamos ainda que todas nossas contas foram aprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia- TCM/BA e pela Câmara de Vereadores. Reiteramos que o ex-Prefeito Deraldino Araújo continua residindo no município e exercendo sua profissão de médico pediatra, atendendo crianças de Ipiaú e região em endereço fixado há décadas.

À população, informamos que estamos muito tranquilos e nunca tivemos medo da verdade porque sempre a defendemos, na certeza de que a justiça não falha aos justos.

Estaremos sempre à disposição para qualquer esclarecimento, de qualquer órgão de controle, pois acima de tudo, nosso controle é a consciência do dever cumprido", finaliza a nota emitida pela assessoria do ex-prefeito de Ipiaú, Deraldino Araújo.