Mais dois envolvidos em fraudar licitações no Sul da Bahia são presos pela PF

quinta-feira, novembro 08, 2018
Construção de creche em Itapé é uma das obras inacabadas e investigadas pela PF.
Dois empresários envolvidos em fraudes em licitações em 24 prefeituras do Sul da Bahia foram presos nesta quarta-feira (7) pela Polícia Federal, um dia após operação conjunta com a Corregedoria Geral da União (CGU) desarticular o esquema. Segundo a polícia, entre os anos de 2015 e 2017 as 15 empresas envolvidas no suposto esquema criminoso realizaram com as prefeituras contratos fraudulentos de cerca de R$ 34 milhões.

De acordo com as investigações, as empresas simulavam concorrência e fraudavam procedimentos licitatórios, com modificações dos contratos de forma ilegal e promoviam subcontratações ilícitas a fim de desviar recursos públicos. Foi determinado pela Justiça Federal de Ilhéus o bloqueio de valores e bens no montante de R$ 28,2 milhões e o afastamento de um dos investigados do cargo e funções públicas que exercia – o nome dele não foi revelado.

Na residência de outro investigado foram apreendidos uma pistola 9 milímetros, cartões de crédito e cheques em nome de terceiros e mais de R$ 18 mil. Com outro investigado foi apreendida uma espingarda de caça.

Com as prisões desta quarta, a polícia cumpriu 13 mandados de prisão preventiva, mas não divulgou nomes. Na terça, conforme apuração do CORREIO, entre os presos estava o empresário Natalício Souza Nunes, dono da Climaseg, de Ituberá. A reportagem apurou ainda que houve prisões de pessoas ligadas às empresas Engemax Construções e Serviços, sediada em Itabuna, e à Lua Branca Intermediação de Serviços e Agenciamento, com base em Igrapiúna.