Ministério Público do Trabalho arquiva mais uma denúncia do Vereador Pery contra a Prefeita Maria

terça-feira, dezembro 11, 2018
Vereador tem colecionado série de denuncias que são rejeitadas e arquivas por órgãos fiscalizadores.
Ipiaú - Por ordem do Procurador do Trabalho, o Doutor André Magalhães Pessoa, o Ministério Público do Trabalho arquivou mais uma denúncia falaciosa do Vereador Pery (PP), que disparou contra os estagiários contratados pela Prefeitura Municipal de Ipiaú, através do Instituto Euvaldo Lodi (IEL). Em julho, o edil apresentou uma denúncia ao MPT, solicitando ao órgão, a suspensão imediata do Programa de Estágio proposto pela prefeitura. Na peça, o legislador, que é esposo da vice-prefeita Margarete do Abrigo (PP), rompida politicamente com a atual Prefeita Maria das Graças (PP), afirmava que o projeto educacional é de cunho "imoral e eleitoreiro" e, que os estudantes foram selecionados sem critérios imparciais, apenas com entrevista e análise de currículos.
No mês de julho, estagiários da Prefeitura foram ao MP rebater denúncia do vereador Pery.
Para averiguação do MPT, a prefeitura, por meio da Procuradora Geral Municipal, a Drª. Isabelle Vellúcia de Araújo, apresentou o convênio firmado entre o município e o Instituto Euvaldo Lodi – Regional da Bahia, relação de todos os estagiários contendo dados pessoais e estudantis, contratos celebrados e esclarecimentos que, nos anos 2017/2018, foi de responsabilidade do IEL/BA a realização dos cadastros, cabendo-lhes analisar a compatibilidade entre o currículo e a vaga disponibilizada (lembrar matéria).  

Diante disso, após a juntada de documentos e manifestação da Prefeita Maria das Graças Mendonça, o Procurador Ilan Fonseca, então substituto atuante, após examinar todo material anexado, concluiu que, parece não existir irregularidades significativas na contratação dos mesmos e que a análise foi utilizada como base para o relatório final, o que acarreta ausência de justa causa para prosseguimento do inquérito. Esta é a quarta denúncia do vereador contra Maria, julgada improcedente e posteriormente, arquivada.