"Estou sendo perseguido pela oposição", desabafa prefeito de Gongogi

sexta-feira, janeiro 25, 2019
O prefeito de Gongogi, Kaçulo, diz estar sendo perseguido pela oposição, desde o início de seu mandato. O gestor vem sofrendo duras críticas em sua administração por parte de um grupo derrotado na última eleição municipal. "Governar com arrecadação 0.6 é quase um milagre, mas estamos tentando trabalhar de forma que possamos cumprir com as obrigações. Infelizmente, as dificuldades são enormes, mas a nossa vontade de acertar é maior", desabafou. 

A assessoria do prefeito informou que Kaçulo herdou da administração anterior,  dívidas com diversos setores e, principalmente com a Educação, escolas com 5 anos sem reformas, carros inutilizáveis, estradas acabadas, e débitos com vários fornecedores. "Só não vê quem não quer: adquirimos 3 ambulâncias para Saúde, um carro, uma moto, aparelhos de raio X, reformamos hospital, realizamos calçamentos de ruas em Gongogi e distritos de Tapirama e Nova Palma, estamos construindo uma quadra poliesportiva e um Posto de Saúde na zona rural da Santa Irene, adquirimos mobiliário escolar, climatização para as escolas do município, e já reformamos as escolas, Celcy Sales em Tapirama, a Roque Monteiro, Roberto Santos, Targino Kalid, Clemente Mariane e estamos em execução com a reforma da escola Hidelbrando Ribeiro em Gongogi, e também da Santa Irene, que o governo passado deixou em péssimas condições. Realizamos patrolamento das estradas vicinais por mais de 3x, e muito mais estamos fazendo", apontou.

Quando questionado com relação ao  pagamento do funcionalismo, Kaçulo disse que quase todos os setores estão em dia, e que, mesmo mediante a dois bloqueios de verbas nos dias 10 e 20 de janeiro, conseguiu atualizar com a guarda municipal, e no próximo dia 28/01 vai regularizar o pagamento dos conselheiros tutelares. "É importante lembrar que conseguimos construir e reformar uma sede própria pra o conselho tutelar. A nossa intenção é a melhor, mas infelizmente a crise financeira vem dificultando o cumprimento de alguns compromissos se realizarem em dia", explicou o prefeito. 

Por sua vez, é fato reconhecer que Kaçulo, mesmo exercendo um cargo no executivo, é um cidadão simples, comum e sem vaidades. Já se passaram 2 anos, e o gabinete do prefeito ainda não possui um veículo próprio. Uma situação incomum na região, pois maior parte dos municípios possuem. Kaçulo quase não sai da cidade, a não ser para buscar recursos em Salvador, e está sempre atendendo ao público na prefeitura, tentando  resolver os anseios da população.  "É preciso ter sabedoria e trabalhar em busca de dias melhores para a gestão. Estou tentando organizar a casa e realizar mudanças que farão de nossa cidade, um município melhor. Sou cidadão gongogiense, nunca sai daqui, e assim será. Farei de Gongogi e distritos, um município melhor de se viver", finalizou.