Trabalhadores em situação de escravidão são resgatados de fazendas na Bahia

quinta-feira, março 21, 2019
Força-tarefa resgata trabalhadores em situação de escravidão na Bahia.
Uma força-tarefa de fiscalização e combate ao trabalho escravo da Bahia resgatou, em duas fazendas do mesmo proprietário, no município de Serra Preta, na na região de Feira de Santana, lavradores que estavam em situação degradante. Eles estão sendo assistidos pela Comissão Estadual de Combate ao Trabalho Escravo da Bahia (Coetrae-Bahia). A operação de fiscalização chegou até o local para apurar denúncia que vinha sendo investigada há algumas semanas e encontrou quatro trabalhadores. Os lavradores estavam sem registro em carteira de trabalho e em completa informalidade. Em média, eles recebiam R$40 por dia de trabalho e tinham que arcar com alimentação, ferramentas e equipamentos de proteção. Dois deles viviam em casas completamente insalubres, sem as condições mínimas de higiene. 

As condições a que estavam submetidos os dois resgatados eram degradantes, segundo avaliação dos agentes públicos, que identificaram que o barraco em que viviam não contava com água, eletricidade nem as mínimas condições de higiene. Sequer protegiam os dois da chuva e da presença de animais. Além disso, eles tinham que pagar por botas, facões e todo o material que usavam para roçar a terra, fazer reparos nas instalações das fazendas e outros serviços. Na tarde de terça-feira (20), advogados do proprietário das fazendas se reuniram com o procurador o Ministério Público do Trabalho na Bahia (MPT-BA), os dois auditores fiscais do trabalho e o defensor público da União para tratar do pagamento das verbas indenizatórias e para receber os autos de infração.  Os resgatados terão direito a receber seguro-desemprego por três meses e serão encaminhados a programas de capacitação e inserção profissional. Em Feira de Santana, para onde foram levados, eles receberam as guias para dar entrada no seguro e as primeiras orientações.  *Blog do Pimenta