Tuberculose matou quase 300 pessoas na Bahia em 2018

segunda-feira, março 25, 2019
A tuberculose, que foi a principal causa de morte na Europa e Estados Unidos até o início do século XX, ainda hoje é um grave problema de saúde pública, tanto no Brasil como em países industrializados. Ela é a principal causa de morte por doença infectocontagiosa em adultos, em todo o mundo. Neste domingo, 24 de março, é assinalado o Dia Mundial de Combate à Tuberculose. Embora 43 milhões de vidas tenham sido salvas no mundo, por meio de diagnóstico e tratamento efetivo entre 2006 e 2015, a tuberculose está entre as doenças infecciosas que mais mata no Brasil. A Bahia ocupa o 3º lugar com maior carga da doença no país. 

Na Bahia, a média é de 4.500 casos diagnosticados anualmente. Destes, apenas 61,8% são curados e o abandono de tratamento chega a 6,1%. Em 2018, foram registrados 4.750 novos casos da doença, desses, 295 foram a óbito. No mesmo ano, Salvador registrou 1.565 casos e 75 óbitos. Este ano, até o dia 26 de fevereiro, na Bahia, 479 pessoas contraíram a tuberculose. Dessas, 21 foram a óbito. Em Salvador, esse número de casos chegou a 175, com sete (7) óbitos. Lançado em 1982, pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pela União Internacional Contra Tuberculose e Doenças Pulmonares, o Dia Mundial da Tuberculose teve essa data escolhida em homenagem aos 100 anos do anúncio do descobrimento do bacilo causador da tuberculose, ocorrido em 24 de março de 1882, pelo médico Robert Koch.