Coluna Fractais Culturais: confira os destaques da Cultura em Ipiaú

sábado, abril 06, 2019
CELSO NA FITA
O Projeto Cultural da Boa Música, resultante de uma promoção conjunta de  Luís Moreira Produções, Restaurante e Pizzaria Chalet Suisse e Studio A, prossegue com sucesso. Na noite deste sábado, 6, a atração no Chalet Suisse foi o cantor, compositor e instrumentista Celso Rommel, um dos melhores da região. No repertório voz e violão ele faz um passeio acústico pelos grandes sucessos da música internacional, MPB, rock e reggae, com abordagem característica do seu próprio estilo. Canta desde Raul e Roberto até Beatles e Bob Marley. Na segunda-feira. 8, às 19 hs, Celso mostra sua arte na  Petiscaria Barbosa, situada à rua Mariquinha Borges.

JURAILDES E XANGAI
O show dos cantadores Juraildes da Cruz e Xangai, sexta-feira, 12 de abril, na Quadra do Colégio Santo Agostinho, às 21 horas, promete ficar na história de Ipiaú. Os dois artistas, ligados à tradição da música regional brasileira, trazem nesse espetáculo o melhor da poética sertaneja. No palco eles se entendem em improvisos e criatividade.  “É um bate-bola, eu passo para ele, ele devolve”, revela Juraildes, enquanto  Xangai explica que raramente se apresenta com roteiro do que vai fazer. “Eu nunca entrei no palco com tudo planejado. Gosto da mobilidade, da plasticidade que a apresentação nos oferece, a interação com o público”, comenta. A promoção é do pessoal da UDV e tem caráter beneficente.

LANÇAMENTO NO FESTIVAL
A cantora ipiauense Larissa Souza, aproveita a realização do Festival Conexão Musical (da Skol), sexta-feira,12, na Praça Rui Barbosa para fazer o lançamento da sua primeira música autoral: “Se não for amor vira esquema”. A canção, em estilo sertanejo, conta com a direção e produção de Alê Barbosa, ex Cangaia de Jegue e Estakazero, e será veiculada  nas plataformas digitais Spotfy, Deezer, Tunes, Google Play e YouTube Music. Acompanham Larissa os instrumentistas: Mauro Silva (violão), Roque Ficher (baixo), Jociel Cruz (sanfona), Rodrigo (teclado) e Cleidson (bateria).

LITERATURA DE PAULO MORAES
Natural de Córrego de Pedras, o poeta e contista Paulo Moraes vem apresentando ao público leitor ipiauense o seu livro: “O Menino Que Viu o Vento”. A obra com o selo da Editora ADOS. de Niterói -RJ-, tem 64 páginas, e uma narrativa muito agradável. Além de escritor, Paulo é teólogo e  membro da Igreja Adventista.  

SARAU NO CASARÃO
O Projeto Escolas Culturais juntamente com o Coletivo Cultural de Ipiaú  realizou na noite da última quarta-feira, 3, no Casarão de Zé Américo, o Sarau Literário Grafias Eletrônicas. O evento reuniu músicos, poetas e atores que deram um show de interpretação e arrancaram aplausos de uma platéia antenada com a boa arte. A coordenadora do Projeto Escolas Culturais neste município, Verônica Leite, explicou que o objetivo do Grafias Eletrônicas é criar um espaço contemporâneo para difusão dos artistas da palavra e a literatura baiana, através do diálogo com o vídeo e as novas tecnologias.

RECEBENDO OS REGUEIROS
No próximo dia 11 de maio, data da morte do músico jamaicano Bob Marley, comemora-se em Ipiaú “O Dia Municipal de Reggae”. A celebração foi instituída por um Projeto de Lei do vereador Lucas de Vavá. Recentemente alguns dos principais defensores deste estilo musical, a exemplo dos músicos Marcio Barreto e Zé de Assis, juntamente com representantes do Coletivo Cultural, estiveram dialogando com a prefeita Maria das Graças. Em pauta: a possibilidade de se realizar um grande espetáculo em praça publica com a participação de regueiros locais e de outras cidades da região. Alguns pontos da conversa  obtiveram avanços, outros ainda podem amadurecer.

TEATRO SACRO
Mantendo a tradição da comunidade católica de Ipiaú será encenado no período da Semana Santa o espetáculo “Paixão e Morte de Jesus Cristo”. A encenação em frente à Igreja de São José Operário, no Bairro Euclides Neto, reunirá 50 atores sob a direção de Caio Braga.e Sandro Barbosa. A realização é da Juventude da Paróquia de São José Operário

A ARTE DE JURNIER COSTA
O artista plástico Jurnier Costa deixou Ipiaú e foi morar no bairro de Santa Felicidade, em Curitiba, PR. Por lá ele tem se dado bem e produzindo coisas belas. Sua arte vem sendo  reconhecida pelos sulistas e em breve  seu nome constará dos catálogos dos grandes pintores do lugar. Talento não lhe falta, já que a inspiração transborda em seu sentimento. No manuseio do pincel Jurnier expressa a grandeza de sua genialidade. 

A POESIA DE JUSSARA MIDLEJ
Doutora em Educação e professora titular do Departamento de Ciências Humanas e Letras (DCHL) da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), além de membro da  Academia de Letras de Jequié (ALJ), Jussara Midlej, nascida em Ipiaú, inspirou o nome desta coluna e escreveu este lindo poema em memória do seu pai Wilson Rocha: Heranças "De meu pai herdei a alegria e uma mania atroz de receitar, quase sem desejar, remédios e chás. Um jeito silencioso de ser, um modo de conversar sem recado mandar. O gosto pelos sabonetes cheirosos, de cortar o pão com a mão sem da manteiga fazer questão. Certa tendência de passar o dia a beliscar e, por qualquer coisa, engordar... Mania de ensimesmar a vida, curar da alma qualquer ferida e dormir quando desejar. De despertar cedo pra a lida, na cama não remanchar e do medo, nem lembrar!"

DO NOME DA COLUNA
Fractais são objetos em que cada parte é semelhante ao objeto como um todo. Isso significa que os padrões da figura inteira são repetidos em cada parte, só que numa escala de tamanho menor. Os flocos de neve são exemplos de fractais: cada ramo do floco parece com o floco inteiro. Os artistas, cantores, poetas, pintores, atores, escritores, bailarinos, são fractais culturais. Cada um deles é semelhante à cultura como um todo. A coluna está lançada e veio pra ficar. *Coluna produzida por José Américo Castro/GIRO