Professores de universidades estaduais negam ter assinado termo com o governo para encerrar a greve


Greve já dura dois meses.

A coordenadora-geral da Associação dos Docentes da Universidade do Estado da Bahia (Aduneb), Ronalda Barreto, negou, nesta terça-feira (11), que os grevistas tenham assinado um termo com o governo para encerrar a paralisação (ver aqui), que completou no dia 9 de junho dois meses. Segundo ela, uma assembleia da categoria, nesta quarta-feira (12), deve definir se os professores universitários permanecem ou não com os braços cruzados.

“Não foi assinado nenhum termo de acordo. Só se assina termo depois da assembleia”, afirmou Barrreto, em entrevista ao Bahia Notícias. Segundo ela, na reunião com o governo, ficou traçado que, se a greve for encerrada, será instalada uma mesa permanente de negociação 72 horas após o fim da paralisação. Os professores, no entanto, não gostaram de não ter o salário, que foi cortado, reposto de forma imediata. De acordo com Ronalda Barreto, esta medida será ainda conversada com o governo com a apresentação de um calendário de reposição das aulas. *Com informações do Bahia Notícias