‘Alex Docinho’, o homem que venceu a amargura do bullying


Natural de Ipiaú, morador da Rua da Banca, o vigilante Alex Rosa Júnior comemora uma vitória sobre o bullying. Pessoas amigas lhe mostraram o melhor caminho para elevar a autoestima e tirar de tempo aqueles que ficavam zoando com seu jeito de ser. O biotipo exótico provocava apelidos, gracejos, gozações que lhe irritavam e motivavam reclamações junto às autoridades. Até queixas na Delegacia de Policia ele prestou contra os gozadores, quando a coisa já estava passando do limite, ganhando as redes sociais com áudios.

Foi conversando com o delegado Rodrigo Fernando e pessoas ligadas aos meios de comunicação da cidade que Alex compreendeu como superar o trauma que vinha acumulando ao longo do tempo. Elas lhe ensinaram a não guardar sentimentos ruins e nem ligar para os perturbadores. Teve até um amigo que utilizou a internet a seu favor, criando um canal no Youtube com o titulo de “Docinho”. O novo apelido anulou aqueles que o amarguravam.

Hoje, Alex pouco importa que lhe chamem de “Salsichão”, “Zoião”, ou outras denominações depreciativas. Rir de quem o provoca, pois sabe que o importante é ser ele mesmo. Sua alegria cresce quando a mulherada o trata como “Docinho”. Sua página está repleta de comentários elogiosos, flertes… Alex compreendeu que não existe coisa melhor no mundo do que sentir o que se é de verdade e não o que os outros pensam.Alto, magro, com 32 anos de idade, funcionário da empresa MB Souza, que presta serviço à Prefeitura Municipal de Ipiaú, Alex Júnior trabalha como vigilante da Escola José Mendes de Andrade, mas também tem seus rompantes de microempresário. Registrou uma firma, com o nome de J.L Segurança, que atua em eventos da iniciativa privada e gera até cinco empregos por ocasião.

Pela necessidade de descolar uns trocados a mais, montou uma bicicleta sonora, com a qual percorria a cidade propagando as promoções de estabelecimentos comerciais e até de candidatos a cargos políticos. A “magrela”, presenteada pelo ex-prefeito José Mendonça, fez sucesso e contribuiu para que Alex ganhasse o status de personalidade folclórica.

Expressando gratidão pela família da prefeita Maria das Graças, e em especial pela empresária Flávia Mendonça que tem lhe auxiliado dentro das suas possibilidades e lhe valorizado como cidadão ipiauense, Alex disse que se sente feliz por tão boas amizades. À reportagem do GIRO ele revelou que a luta pela sobrevivência lhe impediu de continuar os estudos, interrompidos na quinta séria primária.

Disse ainda que é torcedor do Vasco da Gama e que já frequentou a Igreja Pentecostal Fonte da Água Viva, pastoreada pelo apóstolo Marcos Pimentel. Também confidenciou que mora com os avós, e tem uma namorada na cidade de Feira de Santana, mas não pretende casar, por enquanto. Prefere curtir a doce vida de solteiro. ( GIRO/ José Américo Castro).