Igor Kannário faz acordo e vai pagar R$ 9 mil para entidades por desacato a PM


O cantor e deputado federal Igor Kannário fez um acordo de reconciliação com uma policial militar e terá que pagar R$ 9 mil, dividido por 30 meses, para o Asilo São Lázaro e para Associação Bahiana de Equoterapia (Abae). A informação foi divulgada pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), nesta quarta-feira (18). Kannário, que na época era vereador de Salvador, teve uma discussão com a policial no último dia da Micareta de Feira de Santana, em 2017. De cima do trio, durante a apresentação na festa, o cantor afirmou ter mais autoridade do que a PM, pelo fato de ser vereador na capital baiana. As declarações dele foram filmadas, e o vídeo repercutiu nas redes sociais.

Segundo a Polícia Civil, o cantor alegou ter agido sob “violenta emoção” e foi indiciado por desacato a funcionário público. A audiência de conciliação aconteceu na terça-feira (17). Na época, o cantor postou nota em uma rede social, na qual se dizia abismado e surpreendido com o que viu do alto do trio elétrico, e que precisou parar de tocar várias vezes por causa da violência policial. Em junho de 2017, o cantor foi até a delegacia de Feira de Santana e foi ouvido pelo delegado João Uzzum, que investigou o caso. O vereador disse no depoimento que reprovou a atitude da policial, mas que não teve intenção de ofender a PM e nem a corporação.