Autoconhecimento e análise, como acontece? – Simone Cafeseiro explica


A psicoterapia é um processo de autoconhecimento pessoal e intransferível. Cada sujeito que cede ao desejo de mergulhar em si mesmo, deverá no decorrer deste tempo se perceber em uma travessia única da sua própria história. Muitas descobertas acontecerão no transcorrer deste processo. É como se o quebra cabeça da vida estivesse todo embaralhado diante de nossos olhos, e além de notarmos peças que já existem, passamos a identificar novas peças que começam a surgir trazendo novos significados, respondendo a alguns questionamentos, mas também despertando novas dúvidas, e nos fazendo elaborar novas perguntas.

No desafio de tentar montar essas peças, será necessário observá-las com muito cuidado e sem pressa, pois ainda que se tenha pressa, o tempo lógico do autoconhecimento não corresponde ao tempo cronológico que muitas vezes estabelecemos em nosso cotidiano, diante de situações que superficialmente julgamos possuir algum saber.

É comum que algumas pessoas esperem que seus psicoterapeutas / analistas, lhes deem uma “solução” para os seus problemas, e/ou esperem que em uma única sessão, possam sair da terapia com um manual de instruções de suas vidas ou um alívio imediato das suas angústias. No entanto, o lugar da análise costuma ser desconfortável e gerar frustrações, sobretudo diante desse desejo imediatista da realização de expectativas. Levamos uma vida inteira para construir a nossa história, e REconstruí-la em um processo de análise pessoal, é literalmente como dar uma “ré” na mesma, uma “ré” que nos faça rever conceitos, crenças, valores, certezas e incertezas.

Este é um trabalho que envolve muitas desconstruções e ressignificações. Contudo, aos que corajosamente se aventuram nesse mergulho interior por vezes tão desconfortável e cansativo, perceberão que mais extraordinário do que ter nascido de um “Outro” Ser para este mundo, como nascer daqueles que nos geraram, e de todas as influencias socioculturais que vão nos moldando ao longo da nossa existência, é poder ter a oportunidade de viver a experiência de parir-se de si mesmo, nascendo de si e para si. Este é um lugar que nos coloca em uma nova posição em nossas vidas. Permanece o histórico passado, mas mudam-se as perspectivas presentes e futuras.

Simone Souza Cafeseiro- Psicóloga.  (CRP- 03/19407)