Barra do Rocha: Prefeito sanciona Lei que cria ‘Dia do Cigano’ e é alvo de críticas


Do Ubatã Notícias

A gestão do professor Léo tem sido alvo de duras críticas de parte da comunidade do município de Barra do Rocha, isso porque o gestor sancionou a Lei 716/2019 que institui o ‘Dia do Cigano’ no município, que deve ser celebrado em 24 de maio. Ocorre, no entanto, que a cidade possui relação estremecida com ciganos.

No episódio mais conhecido, ciganos mataram dois jovens inocentes em 2013 após suspeita de que eles teriam matado um cigano identificado com Muniz, que teria sido encontrado morto na zona rural do município (lembrar). A morte dos jovens chocou o município e causou ainda mais indignação após Laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontar que o cigano Muniz teria morrido de causas naturais (lembrar).

O assunto tem pautado as discussões nas redes sociais. “É falta de sensibilidade do gestor”, criticou um internauta. “Absurdo”, resume outro. O Projeto de Lei foi aprovado pela Câmara e foi proposto pelo vereador Edvaldo, que é cigano. A Lei foi sancionada em outubro de 2019 pelo professor Léo. Na época já causou mal estar e agora ganhou ainda mais repercussão na medida em que o cigano Laércio Dantas assassinou o jovem comerciante ubatense Danilo Ribeiro em dezembro de 2019, num crime que chocou a Bahia. “Ninguém está pregando ódio, mas no mínimo sancionar essa lei em Barra do Rocha é inoportuno”, destacou um estudante.