Morre Pedro Magalhães, um dos precursores da produção de chocolate fino e cacau de excelência


Pedro Magalhães morreu aos 78 anos.

Foi cremado na manhã deste sábado, 27, em Salvador, o corpo do empresário Pedro Magalhães que morreu na manhã de sexta-feira (26), aos 78 de idade, vitima de um ataque cardíaco. O óbito ocorreu em sua residência no Bairro de Ondina, em Salvador. Ele era um dos precursores da produção de chocolate fino na Bahia e também se destacou por produzir na Fazenda Lajedo do Ouro, em Ibirataia, amêndoas de cacau de alta qualidade. Com essas ações recebeu importantes prêmios nacionais e internacionais.

Com o filho Pedro Magalhães Neto e a esposa Mariãngela.

Pedro Magalhães era casado com Mariângela Cabral Magalhães e deixou dois filhos: Pedro Magalhães Neto e André Magalhães.

Ao tomar conhecimento do falecimento do empresário, o médico, chocolateiro e Secretário Executivo da Câmara setorial do Cacau, Valnei Pestana disse: “Pedro Magalhães uma eterna referência no mundo do cacau e principalmente na nossa era do chocolate, leveza, doçura, sensibilidade. O mundo do chocolate perde Pedro”.

A relação de Pedro Magalhães com o município de Ipiaú é histórica, pois seu pai, Pedro Caetano Magalhães de Jesus, foi prefeito deste município no período de 1948 a 1952, tendo sido o primeiro gestor eleito após o fim do Estado Novo, ditadura implantada pelo presidente Getúlio Vargas.

Ainda criança, entre as irmãs, com a mãe e o pai Pedro Caetano.

A historiadora Sandra Regina lembra que a administração de Pedro Caetano foi marcada pelo investimento na educação e sobretudo no ensino primário. Construiu várias escolas, dentre os quais o prédio do atual Colégio Celestina Bittencourt. Nessa época também foi inaugurado Ginásio de Rio Novo. “Outro marco da gestão do prefeito Pedro Caetano foi a construção do estádio de futebol, que tem o seu próprio nome”. O terreno para a construção do estádio foi doado pelo fazendeiro Domingos Castro. (Giro/ José Américo Castro).