Governo prorroga por 2 meses auxílio emergencial


Foto: Reprodução

O auxílio emergencial terá mais duas parcelas de R$ 600, informou o ministro da Economia, Paulo Guedes, em cerimônia no Palácio do Planalto na tarde desta terça-feria (3). O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou a dizer que vetaria o valor de R$ 600, mas tomou a decisão para evitar atritos com o Congresso.

O governo publicará um decreto para estender o benefício. Ainda nesta manhã, Bolsonaro ainda não tinha decidido sobre o tema e ouvia auxiliares sobre a melhor opção de pagamento. Segundo um ministro ouvido pelo Uol, a decisão foi tomada para evitar um desgaste com deputados e senadores. Para mudar o valor do auxílio ele teria de enviar um novo projeto de lei ao Congresso e corria o risco de ser derrotado.

O auxílio emergencial foi criado em abril para ajudar trabalhadores sem carteira assinada, autônomos, MEIs e desempregados durante a crise gerada pela pandemia do coronavírus. O prazo para solicitação das três parcelas de R$ 600 oferecidos na primeira leva do programa acaba nesta quinta-feira (2). Os ministérios da Economia e da Cidadania defendiam o valor escalonado em três parcelas: uma de R$ 500, outra de R$ 400 e outra de R$ 300, totalizando R$ 1.200. Por outro lado, a ala política do governo alertou que o ideal seria evitar um novo desgaste com o Congresso.