Maracás: Trabalhadores da Vanádio cobram Programa de Participação de Resultados


Foto: Divulgação

Na manhã dessa terça-feira (14), os trabalhadores da Empresa Vanádio de Maracás SA, fizeram uma paralisação de advertência na localidade de Pé de Serra, por aproximadamente duas horas. O movimento dos trabalhadores foi provocado devido o comportamento adotado pela Empresa diante da negociação do Programa de Participação de Resultados (PPR) deste ano.

Segundo o sindicato Stim-Maracás, a peleja se arrasta desde a primeira reunião no inicio de março entre a comissão eleita para representar os trabalhadores juntamente com representante do Sindicato de Mineradores Jacobina e representantes da Vanádio. “De lá para cá, tiveram outras reuniões, a última foi no dia 01 de julho, mas nada avançou”, informa o sindicato.

O Programa de Participação de Resultados, é uma forma de remuneração estratégica caracterizada pela participação dos trabalhadores nos lucros ou resultados da empresa, para obter faz necessário o alcance de metas como eficiência, produção e principalmente produtividade, já que a empresa divide os ganhos adquiridos com os profissionais.

De acordo com o Stim-Marcás, atualmente a empresa paga para os trabalhadores chamados de chão de fábrica, ou seja, operadores, mecânicos e outros apenas um salário nominal como prêmio da PPR. Mas o mesmo não ocorre com todos que laboram na mesma planta da mineradora. “É injusto o critério adotado pela Vanádio de Maracás, ou seja: os chão de fabrica recebe apenas 01 um) salário nominal, supervisores 02 (dois) salários, coordenadores 04 (quatro) salários e gerentes mais de 05 (cinco) salários”, disse a presidente do Stim-Maracás, Patrícia de Souza.