Varejo baiano teve prejuízo diário de R$ 87 milhões entre abril e maio


Foto: Agência Brasil

O comércio varejista baiano sofreu queda anual de 33,2% em abril e teve um prejuízo calculado em R$ 3 bilhões. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou a variação referente ao mês de maio e o resultado foi negativo, porém relativamente menor, de -27,3%.

O prejuízo para o mês, em termos monetários, foi de R$2,3 bilhões, de acordo com cálculos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo da Bahia (Fecomércio-BA). Somando o bimestre, abril e maio, o comércio perdeu R$ 5,32 bilhões em relação ao mesmo período do ano anterior, o que significa que, por dia, o prejuízo médio foi de R$87 milhões.

No mês de maio, somente o setor de supermercados conseguiu superar o resultado do mesmo mês de 2019, com alta de 1,8%. “Com a pandemia, as famílias tiveram que focar os seus gastos no consumo de produtos básicos do dia a dia e o setor tem a característica de ter a necessidade de frequência de compra”, explica o consultor econômico da Fecomércio-BA, Guilherme Dietze. Leia mais no CORREIO