Instalação de UTI no HGI depende da contratação de profissionais especializados, explica Rui Costa


O governador explica porque ainda não tem UTI no HGI.

Durante entrevista coletiva concedida recentemente à imprensa de Ipiaú o governador Rui Costa foi indagado quanto a possibilidade de beneficiar este município com leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo). Ele respondeu que tal realização depende mais da contratação de médicos intensivistas do que de espaços e equipamentos adequados. Diante dessa afirmativa a prefeita Maria das Graças vem apelando para que esses profissionais especializados enviem currículos, pois a Prefeitura tem interesse em contratá-los.

“Com dez currículos dessa mão-de-obra especializada estaremos aptos a receber os leitos que poderão ser instalados no Hospital Geral de Ipiaú, facilitando o atendimento aos pacientes necessitados desse procedimento medico. Faço um apelo a todos que conheçam profissionais com tais requisitos para que a Prefeitura os contrate”, destacou a prefeita.

Existe uma grande carência de médicos intensivistas no Brasil, principalmente nas regiões do norte e nordeste. A formação destes profissionais, demanda no mínimo uma década e a combinação de qualidades técnicas e pessoais para a assistência correta e humanizada de pacientes críticos. Daí a dificuldade para contratá-los. Mesmo assim a prefeita Maria das Graças insiste na oferta de empregos.

Estudos demonstram a influência positiva que o profissional especializado exerce nos cuidados de pacientes críticos, impactando diretamente no menor tempo de internação, utilização de menos recursos, redução de complicações e mortalidade. Para o desempenho da atividade, o médico é submetido a treinamento e prova específicos de conhecimentos teóricos e habilidades práticas, indubitavelmente complexas e que envolvem capacidade de liderança da equipe multidisciplinar. (José Américo Castro/Dircom Prefeitura).