De maio para junho, vendas do varejo baiano crescem 7,0%


Foto: Reprodução

Em junho, as vendas do varejo na Bahia cresceram (7,0%) frente ao mês anterior, na série com ajuste sazonal. Foi o segundo avanço consecutivo nessa comparação. De abril para maio as vendas havia avançado 10,3% no estado, após dois meses de quedas históricas nesse indicador, segundo a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do IBGE.

Apesar do avanço, o resultado de junho ainda está longe de eliminar as perdas acumuladas desde março. Nos quatro meses desde que começou o isolamento social, como medida preventiva contra a pandemia da Covid-19, as vendas do varejo baiano ainda mostram queda de -13,6%.

De maio para junho, o comércio varejista baiano (7,0%) teve um resultado pior que o do Brasil como um todo, onde as vendas cresceram 8,0%. Houve aumentos em 24 das 27 unidades da Federação, lideradas por Pará (39,1%), Amazonas (35,5%) e Ceará (29,3%). Rio Grande do Sul (-9,0%), Paraíba (-2,4%) e Mato Grosso (-2,0%) apresentaram quedas.

Apesar do resultado positivo entre maio e junho, na comparação com junho de 2019, o desempenho das vendas na Bahia seguiu em queda (-12,6%). Além de ter sido a quarta queda seguida no ano, nessa comparação, para o comércio varejista da Bahia, foi o pior junho desde 2016, quando as vendas haviam recuado -13,2%.

O recuo baiano (-12,6%) foi o segundo mais intenso entre os estados, ficando acima apenas do Amapá (-14,8%). Foi um resultado ainda bem pior que o nacional, que mostrou variação positiva (0,5%).