Familiares de detentos vão aproveitar visita de Rui à Ipiaú para pedir flexibilização de visitas nos presídios


Cartaz confeccionado por familiares de detentos.

Familiares de detentos vão aproveitar ida de Rui Costa nesta segunda-feira (21), ao Colégio Estadual de Ipiaú, para pedir ao governador a flexibilização de visitas aos internos de conjuntos penais do Estado. Familiares confeccionaram cartazes pedindo a liberação e colaram nas grades e guarita do Colégio Estadual de Ipiaú. Desde 15 de março, as visitas aos presídios estão suspensas por conta das medidas sanitárias relacionadas à pandemia da Covid-19. No último sábado (19), durante visita não oficial à Ipiaú, o governador informou que nesta segunda irá visitar a unidade escolar que deverá receber investimentos para requalificação da estrutura física (ver aqui). Os familiares dos detentos pretendem aproveitar a oportunidade para reivindicar a flexibilicação ao governador.

Cartazes em grade e guarita do CEI, que deve receber visita de Rui Costa.

O argumento dos manifestantes é de que as visitas são importantes para que os familiares possam, além de ver os parentes, entregar alimentos e medicamentos àqueles portadores de doenças crônicas. “No último dia 15 de setembro completou seis meses que estamos sem notícias dos nossos familiares e sem um plano do governo de flexibilizar o retorno das visitas. Pais, avós, irmãos, sobrinho, mulheres, filhos clamam por saber notícias de seus familiares. As quartas-feiras levamos “Jumbo” (itens que os presos podem receber de seus familiares, a exemplo de produtos de higiene pessoal, produtos de limpeza, lençol e cigarro). Entretanto, não sabemos nada de notícia dos nossos familiares. Os agente penitenciários não informam nada e nem se no presídio tem algum dos internos ou agente infectados”, comentou uma jovem, parente de um interno do Conjunto Penal de Jequié.

Familiares reclamam de falta de informações dos detentos.

De acordo com dados estatísticos constantes no portal da Seap, a Bahia tem uma população carcerária de população 13.125 detentos. Ainda segundo a Administração Prisional, desde o início da pandemia até o final de agosto, foram registrados mais de 1.300 casos confirmados de Covid-19 no sistema prisional baiano. Até então, nenhuma morte tinha sido registrada entre os presos, segundo a Seap. *Redação/Giro Ipiaú