Justiça determina transferência de paciente idosa internada no HGI desde novembro


Estado ainda não cumpriu a determinação judicial (Foto: Giro Ipiaú)

O Juiz de Direito Plantonista da Comarca de Ipiaú, Rafael Barbosa da Cunha, acatou a Ação Civil Pública com pedido de liminar solicitado pelo Ministério Público para que o Governo do Estado da Bahia realize a transferência com urgência de uma paciente idosa, internada no Hospital Geral de Ipiaú (HGI) desde o último dia 19 de novembro. A idosa Julita dos Santos Oliveira, de 77 anos, está com um quadro infeccioso no pé esquerdo e necessita de regulação para uma unidade de referência que tenha disponível uma UTI, a fim de que seja realizada uma cirurgia para amputação do membro inferior.

A decisão foi publicada no dia 28 de dezembro (ver documento) e determinava que o Estado da Bahia em um prazo máximo de 24 horas providenciasse o encaminhamento da idosa ao centro de referência disponibilizando tratamento especializado, encaminhando-a para avaliação médica e, caso confirmado o diagnóstico suspeito, eventual realização de cirurgia, fornecendo-lhe todos os exames, medicamentos, insumos e outros, a critério de médico especialista, bem como, caso necessário, que seja encaminhado a atendimento na rede particular, às custas do réu Governo do Estado. A multa diária pelo descumprimento foi estipulada pelo Juiz em R$ 2 mil.

Segundo os familiares até a tarde dessa segunda-feira (04/01), a idosa ainda permanecia no HGI e sem previsão de regulação. Enquanto isso, segundo a família, o seu estado de saúde vem se agravando a cada dia. Os familiares contam que antes da decisão judicial, o Hospital Geral de Ipiaú se dispôs fazer a cirurgia, mas como a unidade não tem UTI, a família da paciente recusou devido os riscos. Os familiares ainda informaram que os outros hospitais que são referência estão negando a regulação, alegando não ter Unidade de Terapia Intensiva disponível.

A direção do Hospital Geral de Ipiaú foi procurada por nossa redação e ficou de emitir uma nota atualizada sobre a situação da regulação da paciente, mas até postagem dessa matéria, às 21h50 de segunda-feira, ainda não tinha se pronunciado.  *Redação/Giro Ipiaú