Com o fechamento da Ford, indústria baiana desaba 20,9%


Foto: Divulgação

A economia baiana já começa a sentir os efeitos do fechamento da fábrica da Ford no Polo Industrial de Camaçari. Com o fim das atividades da montadora e o agravamento da pandemia de covid-19, a produção industrial do estado amargou, em fevereiro, uma queda de 20,9% em relação a igual mês do ano passado. Foi o pior resultado do país e, também, o pior fevereiro para o setor desde 2015, de acordo com pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 08, pelo IBGE. Na comparação com o mês imediatamente anterior (janeiro), a indústria sofreu um recuo de 5,8%.

Com o resultado de fevereiro, a indústria da Bahia acumula uma retração de 18% no ano – a maior do país. O desempenho nacional está positivo nesse indicador (1,3%). Nos 12 meses encerrados em fevereiro, a indústria local teve queda de 9,4%, mostrando o segundo pior resultado dentre os locais pesquisados, acima apenas do Espírito Santo (-14,1%).

O levantamento do IBGE mostra que, em fevereiro deste ano em relação a fevereiro de 2020, houve retrações em 7 das 11 atividades da indústria de transformação, com destaques para a fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias (queda de 97,1%) e a fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis (-23,2%).

Em sentido contrário, houve alta na fabricação de outros produtos químicos (12,2%) e de celulose, papel e produtos de papel (5,1%). A maior taxa positiva ficou, novamente, com a fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (23,4%), porém esta atividade possui um peso menor na indústria do estado. *Com informações do CORREIO