Ipiaú: Colégio Estadual Celestina Bittencourt chega ao fim após 69 anos


Colégio será municipalizado após a publicação do DOE (Foto: Giro Ipiaú).
Fundado no ano de 1948, o Colégio Estadual Celestina Bittencourt, um dos mais tradicionais do município, será extinto. A decisão, já prevista pelos professores e alunos, foi anunciada pelo próprio governador Rui Costa, na última sexta-feira (03), em visita oficial à Ipiaú. A extinção do colégio estava prevista para o próximo ano. A decisão deve ser publicada no Diário Oficial do Estado nos próximos dias, depois disto o colégio será passado aos cuidados da secretaria de educação do município. O atual diretor da unidade escolar, professor Paulo Roberto Santos Cerqueira, informou ao GIRO que os 16 professores que atuavam no colégio serão realocados pela NTE (antiga Direc 13) em outras unidades estaduais. Já os cerca de 200 alunos do ensino fundamental devem permanecer na mesma escola, após a mudança. Os cerca de 80 estudantes do ensino médio, aplicado no período vespertino, serão transferidos para o Colégio Luiz Eduardo Magalhães (Modelo) e o Colégio Estadual de Ipiaú (CEI). 

Nota dos professores do Celestina
Na manhã dessa segunda-feira (06), os professores do Celestina emitiram uma nota sobre a iminente extinção Colégio Estadual. “… gostaríamos de agradecer o apoio dos nossos educandos e de seus familiares, bem como, de alguns órgãos e pessoas públicas que estiveram conosco na luta contra essa ação (fechamento), mas infelizmente o sistema tecnicista que coloca o lucro acima dos seres humanos, atropelou os nossos ideais de contribuir na formação de jovens desta comunidade para o munido do trabalho e, sobretudo, para a vida. Certos de que ninguém irá destruir a história que escrevemos com dignidade e glória, agradecemos a todos que comungam a nossa dor, em comunicar o triste fato de ver o nosso município perder uma escola do nosso porte por falta de apoio das autoridades que dizem amar essa terra”, diz um dos trechos da nota. Desde o início do ano passado que os docentes e alunos do Celestina lutavam contra o fechamento do colégio, realizando vários movimentos conclamando a comunidade e autoridades a lutarem contra a ação do governo estadual. (Giro Ipiaú)