Eleita a nova diretoria do Conselho Comunitário de Segurança Pública de Ipiaú


Eleição foi realizada no Colégio Celestina Bittencourt (Foto: Marcos Reis).
Foram eleitos na noite dessa segunda-feira, 1º de outubro, os novos membros do Conselho Comunitário de Segurança Pública (Conseg) do município de Ipiaú. A eleição foi realizada no Colégio Celestina Bittencourt, com a presença de representantes de diversos setores da comunidade local. A eleição foi por aclamação em virtude do consenso de todos na formação de uma chapa única. O Oficial de Justiça Dilson Araújo dos Anjos foi eleito o novo presidente da entidade e estará à frente do Conseg no triênio 2018/2021.
Os demais membros da diretoria são: Odeilton Borges – Vice-Presidente; Sionara Amaral Rocha -1ª Secretária; Niedja Andrade de Souza – 2ª Secretária; Antônio Ênio de Jesus – Diretor de Administração Financeira e José Américo da Matta Castro – Diretor de Comunicação. O Conselho Fiscal  terá como membros efetivos: Antonio Gilton de Andrade Ferreira; Ivan Santos e Pedro Bonfim, enquanto os suplentes são: Rodrigo Mendonça; José Marcos Reis e Elzeni de Matos Pereira.
Major Jocevã destacou a importância do Conseg (Foto: Marcos Reis)
A Assembléia Geral Eletiva do Conselho Comunitário de Segurança Pública do Município de Ipiaú foi presidida pelo Comandante da 55ª Companhia Independente da Policia militar, Major Jocevã Lima Oliveira. Na oportunidade ele falou que o movimento pela reativação do Conseg prolongou-se por um bom tempo e que tanto a Policia Militar quanto a Policia Civil estarão assessorando a entidade. Também terão assentos nos Conselho, representações dos Poderes Executivo e Legislativo do município.
Interesse Coletivo

Dilson Araújo foi eleito presidente do Consig (Foto: Marcos Reis).


O presidente eleito falou sobre o papel do Conseg e do desafio à frente da instituição que será gerido por um colegiado e que a ideia é sedimentar um processo que começa na prevenção e vai até a ressocialização: “O Conselho será a ligação permanente da comunidade com os órgãos de segurança pública e com os poderes executivo, legislativo e judiciário, para as demandas do setor. Defendo que as ações sejam planejadas a partir de uma visão macro que observe a segurança pública como um processo que começa na prevenção, indo até a ressocialização. A partir dessa premissa, devemos atuar para que cada ente assuma sua parcela de responsabilidade, ao invés de jogar essa fatura apenas na conta das polícias, pois a repressão apenas não é a solução. O Conseg fará um levantamento das demandas relacionadas à segurança e dai vai elaborar um diagnóstico que servirá de base para estabelecer as metas e ações. Nossa atuação será sempre no sentido de priorizar o interesse coletivo”, pontou Dilson. (Giro/José Américo Castro).