Lateral Cássio, aguardando a oportunidade de mostrar o seu talento na seleção de Ipiaú


Ele ainda não teve oportunidade no time de Netão (Foto: Miro Fernandes)
Dentre os jovens atletas que foram convocados pela primeira vez para a Seleção de Ipiaú encontra-se  o lateral direito Cássio Pereira de Souza. Ele tem 21 anos de idade, 1,73m e 65 Kg e mora na Avenida Itagibá, na Vila de Japumerim. Rapaz de origem humilde e bem educado. Cássio foi revelado pela Doce Mel, onde aprendeu com o professor Matheus os fundamentos do bom futebol e a disciplina necessária para um bom comportamento em campo e na sociedade. Ele ainda não teve oportunidade no time de Netão, nem mesmo no banco de reservas, mas sabe que tudo tem seu tempo e o seu vai chegar. Mesmo que seja em outros intermunicipais. O professor Colt que lhe indicou para a Seleção,  certamente saberá preparar-lhe para o momento oportuno. No currículo de Cássio consta o titulo de Campeão da Copa Graviola, pela Doce Mel, em 2014, e semifinalista da Copa de Bairros, no ano passado, pelo time do Bogí Mirim. Torcedor do São Paulo, admirador do futebol do argentino Messi, Cássio trabalha como segurança de um posto de revenda de combustíveis no Japumerim. O serviço requer coragem e atenção, requisitos que ele também utiliza nos campos de futebol. (Giro/José Américo Castro).  

Futebol: Cristiano Castro, um bom fruto da nova geração do futebol ipiauense


Cris começa a despontar entre os destaques diferenciados da nova geração (Foto: Miro Fernandes)
Se ainda é promessa, não demora muito a ser confirmação. Da nova geração de craques do futebol ipiauense Cristiano Santos Castro (Cris) começa a despontar entre os destaques diferenciados. É um atleta que tem muito a oferecer, tanto como lateral esquerdo, posição que vem atuando nos treinos da Seleção de Ipiaú, quanto como jogador de armação do meio de campo que lhe deu visibilidade na equipe da Doce Mel, onde conquistou alguns títulos, inclusive o de Campeão da Copa  Jequié, no ano de 2015, pela categoria sub 15, após derrotar o time da ADJ no Estádio Waldomiro Borges por 3 X 1.  Nessa competição a equipe de Ipiaú  ficou invicta e Cris foi artilheiro com sete gols, em seis jogos. No mesmo ano  ele passou em três peneiras do Esporte Clube Bahia e deixou sua marca no “Fazendão” com um golaço contra o Ypiranga. Ainda nas divisões de base, Cristiano disputou a Copa Nordeste que reuniu representações do Bahia, Vitória Esporte, Náutico, São Francisco do Conde e Simões Filho, dentre outras.
Filho do jornalista José Américo Castro, Cris tem apenas 18 anos de idade, mede 1, 77, pesa 73 Kg , e é estudante do Colégio Estadual de Ipiaú (CEI).  Seus primeiros contatos com a bola foi num campinho que tinha no quintal do casarão onde morava na Avenida São Salvador. Ainda criança ingressou na Escolinha Craques do Futuro, do professor Bobô, de onde foi para o time da  Doce Mel. No primeiro treino que fez na Seleção de Ipiaú, o professor Ivan Colt entendeu que o atleta tinha características de lateral esquerdo e assim ficou no grupo. Em dois jogos, neste Intermunicipal, Cris esteve no banco, pronto pra entrar em campo. Nos treinos da Seleção ele tem exibido seu futebol veloz, elegante e objetivo. Marca com precisão, apóia com frequência, faz cruzamentos e dar boas assistências. Está praticamente pronto pra exercer o seu papel no escrete ipiauense. Infelizmente, por circunstancia que desconhecemos, Cris ainda está na suplência, mas tem aparecido bem nos treinos. Tenho certeza que no próximo ano será titular, podendo jogar nas duas posições. (Orlindo Lopes/GIRO)

Natan Ferreira, um volante a disposição da seleção de Ipiaú


Natan de Souza Ferreira tem tudo pra ser um jogador de futebol bem sucedido.
Ele mora na Rua do Curral, tem a profissão de tatuador e sabe jogar futebol como poucos da sua idade. Natural de Ipiaú, Natan de Souza Ferreira, 18 anos, faz parte do grupo de jogadores da Seleção que ainda não teve a oportunidade de atuar neste Intermunicipal. Pela primeira vez inscrito na competição ele teve uma única chance de ficar no banco de reservas. Isso aconteceu domingo passado, no jogo de ida, em Uruçuca. O momento era favorável, pois o time precisava de um volante com as suas qualidades, já que o titular Draider não estava bem. O treinador optou por outras  alternativas. Natan acredita que a Seleção de Ipiaú supere as dificuldades, saia da crise e vença Uruçuca no próximo domingo, no Estádio Pedro Caetano. Com isso ele torce e espera que novas oportunidades surjam para os atletas que ainda não jogaram. A trajetória de Natan começou na Escolinha do Professor  Biléu de onde foi encaminhado para a Doce Mel. Foi nesta equipe modelo do futebol de base da região que conquistou o titulo de campeão da Copa Graviola, em 2014. No ano passado disputou a Copa de Bairros pelo time dos “Meninos da Vila” e este ano disputa a mesma competição pelo elenco dos Troglos. Torcedor do Flamengo, admirador do craque Willian Arão, Natan de Souza Ferreira tem tudo pra ser um jogador de futebol bem sucedido. Que assim seja. (Giro/José Américo Castro).

Futebol Ipiaú: Gustavo “Muqueca”, com o ingrediente de um grande goleiro


Gustavo, de 18 anos, é o 3º goleiro da seleção de Ipiaú (Foto: Miro Fernandes/GIRO)
O terceiro goleiro da Seleção de Ipiaú é Gustavo Santos Silva, um jovem de 18 anos, 1,90 m e 81 Kg. Ele reside no Bairro ACM e é mais um que foi revelado pela Escolinha da Doce Mel. Os ensinamentos que tem recebido de Joelson Fernandes, treinador dos goleiros, estão permitindo a Gustavo uma evolução rápida. Muita gente está de olho no seu talento e as propostas começam a surgir, mas o garoto não tem pressa. Gustavo sabe que é tempo de aprender, crescer em busca de um objetivo maior. A turma lhe chama pelo apelido de “Muqueca”, mas a Comissão Técnica não gosta desse tratamento e exige que se refiram a ele com o nome de batismo. É uma questão de interpretação. “Muqueca” vem desde a infância e ele não reclama.
Gustavo teve uma rápida passagem no futebol paulista, jogando num time da cidade de Laranjal chamado “Leões de São Paulo” e no “Rio Preto”. Foi nesse tempo que aprendeu a torcer pelo Corinthians e se tornou fã do goleiro Cássio. Força de vontade, disciplina e segurança são ingredientes que tornam “Muqueca” uma das grandes promessas do futebol ipiauense. Joelson assegura que Gustavo está no mesmo nível de Camal e Raí, os outros dois goleiros da seleção, e acredita que não demora muito para que ele ingresse em um clube profissional e realize uma gloriosa trajetória. (Giro/José Américo Castro).

David Barbosa, zagueiro da seleção de Ipiaú, mantém a tradição da família no futebol


Davi é filho do craque Everaldo Barbosa (Foto: Giro/Miro Fernandes)

Mesmo na via biônica a Seleção de Ipiaú está classificada para a terceira fase do Campeonato Intermunicipal, edição 2017. Sendo assim daremos continuidade a série “Craques da Seleção”. Já estamos na etapa final, faltando  apenas traçar o perfil de mais cinco atletas, suplentes do time titular. O foco de hoje é o zagueiro David Barbosa, filho do craque Everaldo Barbosa que tantas glórias trouxe ao futebol ipiauense jogando no lendário time do Independente Esporte e Cultura. Por coincidência, Everaldo também jogava na zaga. Natural de Ipiaú, atualmente residindo em Porto Seguro, David Alves Barbosa tem 20 anos de idade, 1,91m, 84 Kg. O porte físico lhe permite boa condição nas jogadas aéreas e cabeçadas certeiras contra a meta adversária. Este é o terceiro Intermunicipal que disputa. Em 2015 e 2016 jogou pela Seleção de Santa Cruz de Cabrália, no extremo sul do estado. David tem passagens pelo futebol paulista com atuação na base do Comercial de Piracicaba, e no futebol goiano da segunda divisão, jogando na equipe do Trindade, de Goiânia. Fez testes no Bahia e Vitória. Na Seleção de Ipiaú, o jovem zagueiro teve a oportunidade de entrar no jogo, de ida, contra a Seleção de Valença e não decepcionou. Cumpriu o que lhe foi determinado pelo treinador, mostrou que tem condições e está pronto pra o que for necessário. David trabalha como jardinagem, é corintiano, admira o futebol de Cristiano Ronaldo e sempre que pode busca a orientação de seu pai que sem dúvida foi um dos melhores zagueiros do futebol de Ipiaú em todos os tempos. (Giro/José Américo Castro).

O eclético Toni aguarda a chance de mostrar seu futebol na seleção de Ipiaú


Toni é um atleta eclético, tipo “coringa”, que se adapta a qualquer posição (Foto: Miro Fernandes)
Entre aqueles que aguardam o momento de mostrar que também são capazes de fazer bonito na Seleção de Ipiaú está o jovem Antonio Carlos Macedo, mais conhecido pelo apelido de Toni e residente no Bairro Fernando Neves, no distrito do Japomerim, município de Itagibá. Pela primeira vez inscrito no Intermunicipal, Toni é um atleta eclético, tipo “coringa”, que se adapta a qualquer posição e pode ser utilizado em situações especiais. Se não tem experiências anteriores no Campeonato Intermunicipal, Toni acumula passagens pelos times da Avenida, Schin, Gambiarra e ACM. Foi nesta equipe que ele chegou a ser vice-campeão da Copa de Bairros, no ano passado. Fazer parte do grupo da Seleção de Ipiaú é algo muito importante para este jogador de 22 anos de idade, 1,70 m e 66 Kg ,  torcedor  do Flamengo e admira a categoria de Ronaldinho Gaúcho. (GIRO/José Américo Castro)

Raí, um goleirão à disposição da Seleção de Ipiaú


Foto: Miro Fernandes/GIRO

A Seleção de Ipiaú está bem servida de goleiros. Além do titular Camal, conta ainda com os jovens Raí e Gustavo. O trio tem como treinador o veterano Joelson Fernandes que foi tri-campeão do Intermunicipal, jogando pelo escrete ipiauense, e acumula 32 anos de atuação na competição. É com a experiência de quem jogou em 25 edições do Intermunicipal que Joelson assegura: “Raí está pronto para substituir Camal se houver necessidade”.

Railan Barros, o popular “Raí”, tem 23 anos de idade, mede 1.87 m, pesa 66 Kg, é natural de Ipiaú e filho do ex-vereador Nasser Barros-PMDB- e de dona Ivone Santana. Ele foi revelado pela Doce Mel que lhe projetou para o Campeonato Intermunicipal onde defendeu as seleções de Coaraci, Jitaúna e Santo Antônio de Jesus. Ao seu currículo acrescenta-se uma excelente temporada na divisão de base do Galícia, de Salvador, obtendo a terceira colocação do Campeonato Baiano, na categoria sub 20, e uma passagem pelo futebol profissional, jogando no Interporto F. C. da cidade de Porto Nacional, no estado do Tocantins. Jogando pela equipe da David de Souza, Raí foi campeão da Copa dos Campeões e recebeu o título de “Melhor Goleiro” do campeonato “Natal Sem Fome”, edição 2014. Nesta competição atuou pelo time da empresa Costa Carvalho. Tudo isso aconteceu em curto período de tempo, pois o atleta só resolveu ser goleiro aos 17 anos de idade. Antes jogava de lateral direita e nem imaginava trocar de posição. Se por acaso Raí tiver oportunidade de atuar em alguma partida pela Seleção de Ipiaú a torcida local irá observá-lo melhor e vibrar com seu grande talento. (GIRO/José Américo Castro).    

Ramon deve substituir Miller na zaga da seleção de Ipiaú no jogo contra Valença


Ramon (esquerda) deverá ser o companheiro de Rilex no jogo contra Valença (Foto: Miro Fernandes)
Ramon Silva dos Santos, 32 anos, 1,85 m,70 kg e muita experiência no Campeonato Intermunicipal, é o provável companheiro de Rilex na zaga da Seleção de Ipiaú, no jogo de ida, contra a Seleção de Valença. A partida será domingo, 17, no Estádio Antônio Sereia, em Valença. Ele entra na vaga de Miller que se encontra em recuperação de uma pancada sofrida no jogo contra Ibirapitanga. Essa será a terceira partida que Ramon realiza na atual formação da equipe ipiauense. Casado, uma filha, professor de Educação Física no Colégio Santo Agostinho, Ramon é natural de Ipiaú e mora na Travessa São Roque bem pertinho do Estádio Pedro Caetano. Cresceu nesta região da cidade, batendo baba na área anexa ao estádio, interagindo com a meninada da Avenida São Salvador e tornando-se um cidadão de bom caráter. Para complementar a renda familiar ele aproveita as horas vagas trabalhando no serviço de mototáxi.
Ramon iniciou na Escolinha do Professor Colt (Foto: Arquivo Pessoal)
Foi na Escolinha do Professor Colt que Ramon aprendeu os fundamentos básicos do futebol. Daí decolou para as bases do Cruzeiro (MG) e da Catuense, onde recebeu os ensinamentos do saudoso técnico Chiquinho de Assis. Resolveu jogar no Intermunicipal, passando pelas seleções de Ipiaú, Itagibá, Jitaúna, Ibirataia e Itamaraju, e teve experiência no futebol profissional, disputando a segunda divisão do Campeonato Baiano pelo time do Atlanta/Doce Mel,  e do Campeonato Paulista, atuando no ECUS, de Suzano e na União Mogi das Cruzes. O atleta admite que é tempo de pendurar as chuteiras e se dedicar mais ao ensino da educação física. Para isso vem concluindo o curso superior na UNOPAR, mas, antes, quer ajudar a Ipiaú realizar uma boa campanha no Intermunicipal 2017. (Giro/José Américo Castro).

Larisson, o ala de Dário Meira que brilha na Seleção de Ipiaú


Larisson é o camisa 6 da seleção de Ipiaú (Foto: Giro Ipiaú)
No esquema tático que o treinador Netão costuma adotar na Seleção de Ipiaú o ala esquerdo Larisson vem se firmando como titular. Ele tem liberdade de avanços com forte ligação com o ataque, muitas vezes aparecendo com surpresa e abrindo caminho na defesa adversária. Efetua cruzamentos precisos e garante assistência ao ataque. Desse modo articulou a jogada que resultou no gol da vitória sobre Ibirapitanga e poderá contribuir com outros possíveis sucessos do time ipiauense. Larisson Santos Silva tem 20 anos, 1.78, 70 Kg, é natural de Dário Meira, onde ainda reside. 
Essa é a 4ª vez que o atleta disputa o Campeonato Intermunicipal (Foto: Miro Fernandes)
Ele esteve nas divisões de base (sub 17) do Taboão da Serra, em São Paulo, e da equipe do São Francisco do Conde, na Bahia, e acumula quatro temporadas consecutivas no Campeonato Intermunicipal. Estreou na competição em 2014 pela Seleção de Itagibá, depois jogou nas seleções de Ibirataia ( 2015) e Jitaúna (2016), fazendo uma campanha que se estendeu até às oitavas de final. Agora na Seleção de Ipiaú, Larisson não esconde o entusiasmo com a possibilidade de ir mais longe. “Temos uma equipe competitiva, prudente e audaciosa. Sendo assim podemos dizer que estamos no páreo e nada nos impede sonhar com o titulo”, avalia o atleta. (Giro/José Américo Castro).

Jhon surge como promessa após boa atuação na estreia pela seleção de Ipiaú


Jhon Maicon é morador da Rua David de Souza (Fotos: Miro Fernandes/GIRO)
Dois dos três gols da Seleção de Ipiaú no jogo do último domingo, 3, contra a Seleção de Jitaúna decorreram de assistências precisas do estreante Jhon, um jovem de 19 anos de idade, que desponta como uma boa promessa para o futebol da Bahia. Apesar do nome em inglês, com estilo norte americano Jhon Maicon é um  ipiauense legitimo. Mora na Rua David de Souza, estuda no Colégio Celestina Bittencourt e começou a jogar futebol no Campo da Baixada. Foi nesta área de lazer, pelo time da David de Souza, que ele fez bonito na Copa de Bairros e na Copa dos Campeões. Mostrou habilidade e chamou a atenção dos olheiros.
Dirigentes da Doce Mel o convidaram para disputar a Copa Graviola e o treinador da Seleção  Sub-20 de Itagibá lhe incluiu na disputa da Copa Regional da categoria. Fez bonito nas duas competições e não tardou ser convocada para a Seleção de Ipiaú e está disposto a ganhar posição. Na primeira oportunidade que o técnico Netão lhe deu, não decepcionou. Fez bonito no ataque, desenhou  os passes que resultaram nos gols de Secão e Esquerdinha, provocou a expulsão de um jogador do time adversário, mostrou o tanto que é capaz. (Giro/José Américo Castro).

Meio-campo Washington vem ganhando espaço na seleção de Ipiaú


Washington tem apenas 20 anos e atua no meio de campo (Fotos: Miro Fernandes)
Washington Luiz Couto Santos, um nome que sugere nobreza e com certeza cabe perfeitamente na categoria do jovem atleta que o possui. Ele tem apenas 20 anos, é natural de Ipiaú e mora na Segunda Travessa dos Cometas, atua no meio de campo, armando jogadas com toques rápidos e precisos, fazendo a ligação entre a defesa e o ataque,  sonhando  em ser campeão do Intermunicipal. O treinador já utilizou seu talento em três partidas e  não se arrependeu. Com 1,78 m, 68 kg, e muita disposição, Washington vem experimentando crescimento na Seleção de Ipiaú. Do mesmo jeito  que outros craques emergentes,  do futebol local, Washington começou na Escolinha da Doce Mel, passou pelas competições de bairros e ganhou fama de bom jogador.
Em 2015, competindo pelo time da Fazenda do Povo, faturou o titulo do campeonato municipal. No ano seguinte (2016) foi campeão da Copa Regional pela equipe do Alto da Carolina e disputou seu primeiro Intermunicipal pela Seleção de Camamu, chegando à fase semi-final da competição. Também vestiu a camisa do Buji-Mirim. Agora defendendo as cores da sua terra que dar um passo além. Enquanto o futebol não lhe proporciona os rendimentos pretendidos, Washington garante o sustento trabalhando na distribuidora Cesta da Família e não se descuida dos estudos. Já concluiu o segundo grau e pretende fazer vestibular para Educação Física, torna-se professor. (Giro/José Américo Castro).

Romeu: o craque que o ACM revelou para o futebol ipiauense


Ponta esquerda típico, Romeu gosta de furar bloqueios e facilitar conclusões dos goleadores.
Morador do Caminho 12 do Bairro ACM,  Romeu Bispo Oliveira é bem mais que um rapaz de 22 anos, corpo franzino e jeito tímido. Ele é um craque que desponta no cenário do futebol amador da Bahia e tem condições de crescer, ir mais longe, provar que as aparências enganam. Aos poucos, Romeu vem se firmando, disputando posição, buscando conquistar lugar definitivo na linha de frente da Seleção de Ipiaú. Faz isso com paciência, sabendo ser útil no momento certo, sempre estando à disposição do treinador. Em seu currículo não consta passagens ou testes em clubes profissionais, nem mesmo em escolinhas de futebol, e muito menos em outras participações no Intermunicipal. Esta a primeira vez que marca presença na tradicional competição. Foi no campinho do ACM que Romeu revelou seu talento e apareceu  para  o futebol ipiauense.
A Copa dos Bairros lhe serviu de vitrine. 
A Copa dos Bairros lhe serviu de vitrine. Tornou-se vice-campeão jogando pelo time do ACM e fez bonito na equipe do Alto da Aparecida. Ponta esquerda típico, Romeu gosta de furar bloqueios e facilitar conclusões dos goleadores. Considera Ronaldinho Gaúcho um dos maiores jogadores de todos os tempos e busca inspiração nas  jogadas e versatilidade do famoso craque. Para ganhar a vida, Romeu trabalha no setor de serviços gerais em um condomínio residencial no distrito de Japomerim. Bigodes retorcidos, leve semelhança com o genial pintor Salvador Dalí, o jovem atleta do ACM tem sua arte nos gramados e pretende mostrar com a bola que é capaz de pintar uma obra prima.
*GIRO/José Américo Castro/ foto: Miro Fernandes

Albérico, o veloz ala da Seleção de Ipiaú


Albérico começou na escolinha do professor Biléu, no ano de 2010 (Foto: Miro Fernandes)
Velocidade, determinação e objetividade são características do ala Albérico de Brito Botelho, 21 anos, 1,68m, 60 Kg, natural da região do Bom Sem Farinha, zona rural de Ipiaú. Ele começou na escolinha do professor Biléu, no ano de 2010, passou pela Doce Mel, onde permaneceu por quatro anos consecutivos e foi campeão da Copa Graviola, competição que reuniu equipes (sub 20) de diversas cidades da região.
Albérico chuta com os dois pés e é titular absoluto no time de Netão (Foto: Miro Fernandes)
Em seguida, fez testes no São Paulo, Cruzeiro e São Caetano, mas retornou à Bahia, onde, no ano passado foi titular na Seleção de Ubaitaba e este ano defende a Seleção de Ipiaú. Albérico chuta com os dois pés e é titular absoluto no time de Netão. A derrota para Ubaitaba, na terceira rodada do atual Campeonato Intermunicipal, não desanimou o veloz ala. “Resultados negativos não podem ser repetidos, mas apontam erros que podem ser corrigidos para um melhor desempenho da equipe”, avaliou o atleta.  
*Giro/José Américo Castro

Mateus, o filho de Bogí na linha de frente da Seleção de Ipiaú


Matheus Damacena tem 23 anos.
Filho do saudoso Bogi (Genival Damacena), uma das mais importantes referências dos esportes em Ipiaú, tanto no atletismo, quanto no futebol e como preparador físico, o jovem Mateus Damacena, 23 anos, 1,77 m, 68 Kg, natural de Ipiaú, é um dos atacantes titulares da Seleção de Ipiaú. Faz o trabalho de pivô, segurando a bola para os companheiros de equipe que vem de trás, mas, também disputa as bolas provenientes dos longos lançamentos. Está sempre bem posicionado no centro da linha de ataque ou movimentando-se de ambos os lados do campo para buscar a melhor jogada, com o objetivo do gol. O primeiro ensinamento futebolístico obteve do seu pai, na escolinha de futebol que ele mantinha no Japomerim. Depois esteve na Doce Mel, onde aperfeiçoou seu talento. Mateus disputou algumas temporadas da Copa dos Bairros, pelo Bogimirin e Corote e foi campeão municipal (categoria sub-23), em 2015, pela Fazenda do Povo. No mesmo ano ganhou um titulo regional jogando por um time de Jequié. Fez testes em alguns clubes profissionais, dentre os quais o Bahia, Vitória e Corínthias. Em 2014 jogou o seu primeiro Intermunicipal pela Seleção de Ipiaú e agora está de volta à competição atuando pela mesma equipe. 
*GIRO/José Américo Castro, com fotos de Miro Fernandes.

Thomé, o atacante capixaba que quer brilhar na seleção de Ipiaú


Thomé é jogador da base do Vitória Futebol Clube, o mais antigo clube profissional do Espírito Santo.
Capixaba de Vitória do Espírito Santo, o jovem Alexandre Thomé do Carmo, 20 anos, quer escrever seu nome na história do futebol de Ipiaú. Ele é um dos atacantes da seleção local e atua nas duas extremas. Com muita velocidade parte em busca do gol que geralmente decorre de arremates certeiros. Também se destaca pelas assistências precisas e dribles desconcertantes. Thomé é jogador da base do Vitória Futebol Clube, o mais antigo clube profissional do Espírito Santo, mede 1,78 m e pesa 66 kg. O glorioso alvianil de Bento Ferreira (bairro onde está localizado a sede social do clube) o emprestou para a Seleção de Ipiaú, mas pretende elevá-lo à categoria profissional. Sabendo disso o atleta se esforça para realizar um bom Intermunicipal e quando retornar ao Vitória fazer bonito no “Ninho da Águia”, ou seja o Estádio Salvador Venâncio da Costa, a casa do centenário clube da capital capixaba.”Disputar a mais importante competição do futebol amador da Bahia, pela Seleção de Ipiaú, acrescentará muito em minha vida esportiva. Ganharei mais experiência que muito contribuirá para que eu chegue ao objetivo de assumir uma vaga  na equipe profissional do Vitoria”, avaliou o jogador . 
*Giro/José Américo Castro/ Fotos: Caio Braga

Craques da Seleção de Ipiaú: Esquerdinha quer fazer a diferença no time


 Jeanderson Ribeiro Soares, o “Esquerdinha”, quer fazer a diferença no time.
O apelido é o mesmo que o de um antigo ídolo do futebol nacional. O carisma é indiscutível, pois a torcida lhe aplaude mesmo não estando em campo. Todos reclamam a sua presença no time e parece que isto não vai demorar de acontecer, já que ele vem treinando muito bem e está pronto  pra mostrar seu grande talento. Jeanderson Ribeiro Soares, o “Esquerdinha”, quer fazer a diferença, conduzir a Seleção de Ipiaú para sucessivas vitórias, lutar pelo titulo do Intermunicipal. Ele tem 26 anos de idade, 1,74 m, 72 Kg e muita habilidade no trato com a bola. É um meia-esquerda imprescindível a qualquer equipe que valorize o bom futebol. 
Esquerdinha Começou na escolinha do professor Colt e já atuou na Europa.
Natural de Ipiaú, morador da Rua Osório Costa, no Bairro São José Operário (antiga Invasão), Esquerdinha é um desses atletas que na gíria esportiva chamam de “rodado”.  Começou na escolinha do professor Colt de onde seguiu para São Paulo jogando na base da Ponte Preta, Baruerí  e Jundiaí. Tornou-se profissional no Goiânia Esporte Clube que lhe credenciou para uma experiência internacional. Na primeira divisão do futebol português vestiu a camisa do Rio Ave. Voltando da Europa, fez reversão para o amadorismo e jogou nas seleções de Itagibá, Jitaúna e Ibirapitanga. Agora é a vez de mostrar aos seus conterrâneos o tanto que joga direito porque se chama Esquerdinha.
*Giro/José Américo Castro/Fotos-Miro Fernandes

Craques da seleção de Ipiaú: o meia-esquerda Ezequiel


Ezequiel atuou no time do Bairro Novo no ano passado e foi campeão na Copa de Bairros (Foto: Tiago Rialle).
Meia-esquerda clássico, Ezequiel Santos de Jesus, 25 anos, nasceu em Ipiaú e reside no distrito de Santa Terezinha, município de Jitaúna. Jogando pelo time do Bairro Novo ele conquistou no ano passado o titulo de Campeão da Copa dos Bairros e se firmou como um dos atletas mais promissores do futebol local. Também foi campeão da mesma competição defendendo a equipe da Schin. Estes títulos, entretanto, não foram os únicos da sua carreira. Em São Paulo, jogando pelo Palmeirinha, de Paraisópolis, levantou a taça da cobiçada Copa da Paz. Ezequiel recusou um convite da Seleção de Jitaúna por conta de uma vontade grande de compor o elenco ipiauense. Com boa altura (1.76m) e pesando 68 Kg, o atleta acredita que a Seleção de Ipiaú colherá bons resultados no Intermunicipal 2017 e deposita fé em Deus pra que tudo dê certo.

*Giro/José Américo Castro

Volante Draid Morais é peça importante no sistema defensivo da Seleção de Ipiaú


Jogador vai disputar o seu 5º Campeonato Intermunicipal (Fotos: Giro Ipiaú)
Draid da Silva Morais, 25 anos, 1,66 m, 74 kg, natural de Ibirataia, residente no distrito de Algodão, é outro volante da Seleção de Ipiaú. Jogador de marcação, ele tem a missão de proteger os zagueiros e apresenta como principais características o desarme das jogadas adversárias e os passes curtos, bem calculados e precisos.
Principais características do volante é o desarme das jogadas adversárias e os passes curtos.
O atleta já disputou quatro intermunicipais (2011, 2014, 2015 e 2016), pela Seleção de Ibirataia, aonde chegou ao quinto lugar da competição na edição de 2014. Seu pensamento é ser campeão pela Seleção de Ipiaú. 
*GIRO/José Américo Castro,com participação de Thiago Rialle.

Craques da Seleção de Ipiaú: Thales um grande reforço no meio de campo


Sua trajetória futebolística teve inicio nas divisões de base do Cruzeiro, de Belo Horizonte (Foto: Giro Ipiaú).
O meia esquerda Thales Souza, chegou de Vitoria da Conquista para reforçar a Seleção de Ipiaú neste Campeonato Intermunicipal de Futebol. Tudo indica que estará em campo no jogo de estreia, contra a Seleção de Ibirapitanga, no próximo domingo, 6, em Ibirapitanga. Bom cobrador de faltas, eficaz nos cruzamentos, Thales (29 anos, 1.75m, 78Kg) chuta com os dois pés, arma as jogadas, faz o time se movimentar e gosta de deixar os companheiros de cara para o gol. Sua trajetória futebolística teve inicio nas divisões de base do Cruzeiro, de Belo Horizonte. Também jogou  na base do Lazio, da Itália. 
Jogador tem experiência internacional atuando na Itália, Chile e Paraguai (Foto: Giro Ipiaú) 
Profissionalizado pelo clube mineiro, Thales passou uma temporada no futebol capixaba, jogando nos times da Desportiva, São Bernardo e Colatina. Depois esteve no Chile atuando pelo Club Libertad  e em seguida na equipe do Dois de Maio, do Paraguai. No futebol baiano Thales jogou três temporadas seguidas pelo Vitória da Conquista, tendo sido campeão da Copa Governador do Estado, edição 2014. Fez a reversão para o amadorismo e disputou o Intermunicipal em 2015 e 2016, respectivamente, pelas seleções de Uruçuca e Jitaúna. Thales revelou que seu objetivo é contribuir para que a Seleção de Ipiaú faça uma boa campanha no Intermunicipal e que após a temporada voltará ao profissionalismo no Paraguai. (GIRO/José Américo Castro).

Craques da Seleção de Ipiaú: A versatilidade de Diego Lopes


Diego tem características de volante e de meia, o que lhe coloca como uma espécie de coringa do time.
O sistema defensivo da Seleção de Ipiaú tem em sua maioria atletas experientes e provenientes de cidades vizinhas. O goleiro é de Ibirataia, os dois zagueiros são de Jitaúna e um dos laterais, Diego Lopes, vem de Barra do Rocha. Além de atuar na lateral direita, Diego tem características de volante e de meia, o que lhe coloca como uma espécie de coringa do time. Com essa versatilidade o atleta já disputou seis intermunicipais e integrou dois clubes profissionais. Passou pelas seleções de Itagibá (2010), Ibirataia, Jitaúna,  Santa Luz e  Ibirapitanga.
Diego já foi vice-campeão pelo Intermunicipal (Foto: Thiago Rialle)
Foi  jogando pela Seleção de Santa Luz que ele foi vice-campeão em 2014, numa disputa contra Cachoeira que jogando em casa marcou um gol no último minuto e levou a decisão para os pênaltis, vencendo por 4 a 2. Apesar de ser homem de marcação, Diego gosta de sair rápido com a bola dando dinamismo ao jogo e contribuindo para que sua equipe imprima mais ofensividade. No futebol profissional o atleta residente em Barra do Rocha, vestiu as camisas do Colo-Colo de Ilhéus e do Confiança de Sergipe. Diego Lopes tem 26 anos, 1,72m e 67 Kg.  A torcida ipiauense acredita na sua capacidade. 
*GIRO/José Américo Castro, com participação de Thiago Rialle.

Volante da Seleção de Ipiaú é mais um do grupo com grande experiência no Intermunicipal


IGOR: um volante de muita competência (Foto: Tiago Rialli).
Ágil, bom nos desarmes, com grande qualidade no passe, especialista em fazer a ligação da defesa com o ataque, onde costuma chegar como um elemento surpresa, o volante Igor, faz parte do grupo dos veteranos da Seleção de Ipiaú. Ele é natural de Valença, tem 30 anos, mede 1,86 m, pesa 72 Kg e tem a experiência de atuações em nada menos que dez intermunicipais. Já jogou nas seleções de Ipiaú, Ibirataia e Jitaúna. Foi integrando a Seleção de Ibirataia, no Intermunicipal de 2014 que Igor chegou às quartas de final da famosa competição interiorana. Este ano convidaram Igo para jogar na Seleção de Porto seguro, mas ele preferiu ficar em Ipiaú. O ágil volante foi revelado para o futebol pelo professor Colt, um descobridor de talentos que agora treina a rapaziada da base do escrete ipiauense. Filho do músico/baterista  Zé Tenaz, Igor Luiz Silva Santos gosta de ser identificado como “Atleta de Cristo”, pois é evangélico-pentecostal da Igreja de Cristo no Brasil que em Ipiaú tem  endereço  no Bairro ACM, onde o craque também reside. (Giro/José Américo Castro).

Craques da Seleção de Ipiaú: Müller, zagueiro de estilo clássico


Müller – um quarto zagueiro de estilo clássico (Foto: Thiago Rially)
Ele já jogou na base do Santos Futebol Clube, marcou presença em mais de dez edições do Campeonato Intermunicipal, a maioria delas jogando pela Seleção de Jitaúna, onde foi lançado pelo técnico Paulo Sales. Recebeu convite para jogar na Seleção de Eunápolis, mas preferiu ficar em Ipiaú, formando o miolo do sistema defensivo com seu velho companheiro Rilex. Assim eles repetem a mesma zaga da seleção de Jitaúna no ano passado. Müller Araújo de Almeida, 30 anos, 1,83 m, 80 kg, é natural de Jequié e reside na cidade de Jitaúna, trabalhando como funcionário público municipal. Sua vinda para Ipiaú foi por indicação de Givaldo Magrão, seu ex-treinador e atual Diretor de Esportes deste município. Müller é um atleta de estilo clássico e disciplinado. Em 2008 quando esteve na Vila Belmiro foi contemporâneo de Robinho, Elano e Renato, apesar de não ter jogado com eles que já eram titulares do lendário time paulista. Müller é uma peça fundamental no esquema tático do técnico Netão. (GIRO/José Américo Castro)

Craques da seleção de Ipiaú: Saiba mais sobre o zagueiro Rilex


“Rilex” vai disputar o seu 16º Intermunicipal (Foto: Giro Ipiaú)

Experiência não lhe falta, afinal são 16 intermunicipais disputados ao longo da sua trajetória de jogador de futebol. Começou em 2002 na Seleção de Jitaúna, sua terra natal, e jogou em diversas outras seleções. Criou fama em Itagibá,  foi campeão no ano de 2010, pela Seleção de Porto Seguro, e defendeu o escrete ipiauense nos campeonatos de 2003/2004 e 2005. Agora, sob o comando do treinador Netão, realizará o seu quarto Intermunicipal por esta cidade. Alexandre dos Santos, o popular “Rilex”, faz parte do grupo de veteranos do time. Tem 33 anos, 1,75 m e 85 Kg bem distribuído. Sua capacidade de liderança, inevitavelmente, lhe conduzirá à função de capitão da equipe. Ele sabe das limitações do elenco, mas acredita que a determinação dos mais novos, aliada à experiência dos maduros, pode resultar em gratas surpresas. “Nossa meta é a vitoria, sempre”, assegura o zagueirão. (GIRO/José Américo Castro).

Saiba mais sobre os craques da Seleção de Ipiaú


CAMAL- O Goleiro Titular
O atleta Camal Moura Santos é o dono da camisa nº 1 da Seleção de Ipiaú. Ele veio de Ibirataia, cidade onde nasceu, para ser o goleiro titular do time  que na  mesma posição tem os jovens  Railan e Gustavo “Muqueca”. O trio é treinado pelo ex goleiro Joelson que muitas glorias já deu ao futebol ipiauense. Camal tem 26 anos de idade, 1,91 m, 85 Kg e um currículo onde estão registradas sua participação em seis edições do Campeonato Intermunicipal,  além de quatro anos na base do Esporte Clube Bahia.
A primeira experiência de Camal no Intermunicipal foi no ano 2010 quando ele defendeu a  Seleção de Itororó. Nessa temporada chegou às quartas de final da competição. Depois, sempre como titular,  atuou pelas seleções de Itapetinga, Ibicaraí, Jitaúna, Itajuípe e Ibirataia, sendo nesta por dois anos consecutivos. A experiência, tranqüilidade e agilidade de Camal podem contribuir para que a Seleção de Ipiaú volte a brilhar no Intermunicipal. A cada dia estará apresentando o perfil de um atleta da seleção ipiauense. O próximo foco será no zagueiro Rilex. (GIRO/José Américo Castro).