Mirabela diz que Governo do Estado ainda não fez proposta concreta


Mineradora e governo discutem a liberação dos créditos do ICMS desde o ano passado.
Nos últimos dias representantes da Mirabela Mineradora vem participando de várias reuniões com pessoas ligadas ao governo do estado para tentar impedir o encerramento das atividades da mineradora, localizada no município de Itagibá. Deputados da situação garantiram que o governo iria ajudar a empresa com a liberação de parte do ICMS ((Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) retido e redução de impostos. No entanto, até o momento, segundo a Mirabela, as reuniões não foram satisfatórias. A mineradora emitiu um comunicado aos funcionários, o qual o GIRO teve acesso. Confira: “Durante todo o ano de 2015 a Mirabela veio tentando buscar aleternatidas que pudessem viabilizar o fortalecimento da sua saúde financeira, diante do desafiador cenário que a empresa se encontra. Uma destas alternativas foi de pleitear junto ao Governo da Bahia a liberação de parte dos créditos de ICMS, cujo montante total é mais do que suficiente para reequilibrar a empresa financeiramenteA empresa vem realizando reuniões com as autoridades governamentais desde agosto de 2015, porém, até agora, todos os posicionamentos do Governo do Estado da Bahia sobre a liberação dos créditos de ICMS foram insatisfatórios. Mesmo a empresa buscando, incessantemente, formas mais viáveis para a continuidade do seu negócio no município de Itagibá, não há, ainda, nenhuma proposta concreta do governo com relação a este pleito. A Mirabela está sempre aberta a um diálogo transparente com as entidades governamentais e, diante das dificuldades financeiras da companhia, é preciso que neste momento o Governo da Bahia apresente decisões factíveis e concretas, no menor espaço de tempo, para que a empresa possa atingir a sustentabilidade financeira do seu negócio”. 
No último dia 18 de fevereiro a Mirabela comunicou aos funcionários que a empresa irá encerrar as atividades e anunciou a demissão dos cerca de 400 trabalhadores diretos. A operação será paralisada no dia 20 de março. Um pequeno grupo do atual quadro continuará trabalhando após o encerramento para dar manutenção em equipamentos e cuidar de processos burocráticos, condicionantes, meio ambiente e outros.  A Mirabela, situada no município de Itagibá, iniciou a exploração do níquel sulfetado no final do ano de 2008. Época em que a libra do minério era vendida em torno dos U$$ 12,00. Quando a crise no setor começou a surgir e o valor despencar para 8 dólares a libra, a empresa já estaria operando com prejuízo. Depois de chegar a U$$ 3,70, nas últimas duas semanas o valor do níquel vem subindo e atualmente está próximo dos U$$ 4 a libra.  (Giro em Ipiaú) 

Ipiaú: Deraldino propõe mobilização de prefeitos da região em defesa da Mirabela


Foto:Reprodução/Youtube
Referindo-se à notícia do fechamento temporário da Mirabela Mineração do Brasil, empreendimento localizado no município de Itagibá,  fato que, segundo ele,  deve ser de preocupação de toda a região, pelos inestimáveis danos sociais que poderá causar, o prefeito de Ipiaú, Deraldino  Alves de  Araújo, se colocou à inteira disposição do prefeito itagibense, Marcos Valério Barreto, o popular Marquinhos, a fim de buscar alternativas junto ao governo estadual para evitar o que o segundo ele pode se transformar numa verdadeira catástrofe social para a economia regional. Além da sua própria disponibilização, o prefeito de Ipiaú sugeriu que o Consórcio dos Municípios do Vale do Rio das Contas, através do seu presidente, o prefeito de Itagi, Railton de Oliveira Ramos, mobilize todos os prefeitos consorciados, para buscarem de forma coletiva junto ao governo estadual, medidas que venham evitar a desativação da Mirabela. “Embora Ipiaú não seja beneficiado com os royalties, estou pronto para me juntar ao companheiro Marquinhos, prefeito de Itagibá, para formamos uma frente de prefeitos em defesa da manutenção do funcionamento da Mirabela”, declarou o prefeito Deraldino Araújo. 

Mirabela reduz meta de produção de níquel para 2016


Foto:Divulgação/Mirabela

A empresa australiana Mirabela Nickel Limited, proprietária da Mirabela Mineração do Brasil, empresa que opera uma mina de níquel em Itagibá, disse nessa segunda-feira que vai reduzir ainda mais a produção em 2016, que deve chegar a no máximo 12.500 toneladas de níquel contido em concentrado. A mineradora vem passando por momentos difíceis devido o baixo valor do níquel no mercado. No final do ano passado a empresa reduziu em mais de 30% o seu quadro de funcionários, sem contar os desligamentos de trabalhadores das empresas terceirizadas. Em 2014, quando o níquel era vendido a U$$ 8 a libra, a Mirabela já operava com prejuízo. Na semana passada o valor da libra chegou a U$$ 3,90.  Numa entrevista concedida ao Giro em Ipiaú, em outubro do ano passado, o diretor financeiro da mineradora, Nilson Mundim, informou que a crise tinha origem na China. “A China está demandando menos metais, de toda  natureza. Houve uma desaceleração mais forte do que se esperava na sua economia e da mesma maneira que nos anos passados havia um crescimento no preço dos metais, porque a China estava demandando, agora acontece uma retração dos preços”, explicou,  naquela ocasião. A possibilidade da Mirabela fechar a mina tem deixado as comunidades de Ipiaú e Itagibá bastante preocupadas. (Giro em Ipiaú)