Portadora de deficiência física reclama da dificuldade em retirar CNH em Ipiaú e região


As dificuldades enfrentadas pelos portadores de deficiência física na região não se restringem, em virtude da falta de acessibilidade, às calçadas. Os cadeirantes do município vivenciam as barreiras de locomoção também no que se refere a conduzir um automóvel. Isso porque não há autoescola na região que ofereça suporte no processo de retirada da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para deficientes. A portadora de deficiência física Anelise Alves Belusso, 25, enviou um e-mail para nossa redação, no qual, ela conta que teve que viajar à Salvador para renovar a habilitação, que foi retirada em outro estado. Segue na íntegra a reclamação da jovem.  “As várias Auto-Escolas em Ipiaú e cidades próximas como Jequié, Itabuna e Ilhéus, não atendem PCD – Pessoa com Deficiência. Obrigando- os a se deslocarem até Salvador para poder tirar ou renovar  a sua Carteira Nacional de Habilitação – CNH, o que é um absurdo tendo em vista os enormes gastos financeiros e de tempo para quem precisa cumprir essa maratona. Num país onde 24% da população possui alguma deficiência (de acordo com o IBGE), o assunto sobre inclusão social não poderia ser mais falado, principalmente diante das próximas eleições que estão por vir. Políticos de todos os partidos já se atentaram para isso e começam a fazer promessas de melhor calçamento em ruas e melhores adaptações em escolas e outros locais públicos. Além das leis que já existem como a cota de 5% exigida para a contratação de PcD’s nas empresas privadas, vestibulares e concursos públicos. Mas o que muitos não sabem é que inclusão social vai muito além de uma rampa nas calçadas da vida. Trata-se principalmente de respeito, dignidade e igualdade. Pois ninguém sabe o dia de amanhã.” Anelise é paraense, mas mora atualmente em Ipiaú. Ela teve uma das pernas amputadas devido a um câncer Osteossarcoma no fêmur esquerdo aos 10 anos de idade.