Nova pesquisa Ibope exclui Rui Costa de cenário do 2º turno


A terceira pesquisa Ibope/TV Bahia sobre a sucessão estadual que será divulgada nesta quarta-feira, dia 27, só apresenta como cenário para um eventual segundo turno no Estado uma hipotética disputa entre os candidatos do PSB, Lídice da Mata, e Paulo Souto, do DEM, excluindo do páreo o candidato do PT, Rui Costa. É o que se deduz da pergunta de número seis do questionário. Nos dois levantamentos anteriores (de julho e maio), Lídice e Souto aparecem com os mesmos percentuais em segundo e primeiro lugar, respectivamente. Souto tem 42% e Lídice, 11%, enquanto Rui surge com 8%, um ponto a menos que no levantamento anterior, de maio. A sondagem foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número BA-00013/2014 e está sendo realizada desde o último dia 23 até a data da divulgação pela emissora. Ao todo, 1.008 pessoas serão entrevistadas. A pergunta sobre o segundo turno é a sexta de um questionário com 15 questões. A pesquisa foi contratada ao Ibope pela TV Bahia ao custo de R$ 62.324,64. Uma outra pesquisa foi registrada no TRE sobre a sucessão estadual. Ela pertence ao Instituto Sensus. São mil entrevistas em sete regiões, abrangendo 56 municípios, entre os dias 25 e 28 de agosto. O Sensus não informou a data de divulgação. Procurada, a representação do Ibope na Bahia, não soube confirmar se a pergunta nº 06 do candidato exclui o candidato Rui Costa. Informações do site Política Livre.

Souto deve ser o candidato de ACM Neto; decisão sai essa semana


O prefeito de Salvador ACM Neto (DEM), que coordena o processo de escolha do candidato antipetista ao governo do Estado, deve anunciar ainda esta semana a indicação feita pelo seu partido: o ex-governador Paulo Souto. Falta ao democrata comunicar a decisão ao outro postulante do grupo à cabeça da chapa, o presidente estadual do PMDB, Geddel Vieira Lima, o que pode ocorrer ainda nesta terça-feira (1º). Todos os elementos para a cisão da chamada “união das oposições” foram colocados a partir do “ato falho” de Neto – que anunciou um secretário de Jaques Wagner como representante do “governador Paulo Souto” –, na última sexta (28), durante a posse da nova diretoria da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia (Ademi-BA). No dia seguinte, Geddel endossou, em reunião com partidos “nanicos”, com os quais busca apoio, o seu ímpeto em comandar o Palácio de Ondina. Nesta segunda (31), foi a vez de o DEM pressionar o prefeito em busca de “acelerar” a montagem da coligação. Enquanto os principais atores do processo preferem não se pronunciar publicamente sobre o afunilamento do quadro, admitem extraoficialmente que Souto e Geddel devem marchar isoladamente pelo menos no primeiro turno da eleição. Informações do Bahia Notícias.

Geddel não vai recuar da disputa pelo governo, avaliam aliados


Dirigentes do PMDB nacional e aliados próximos ao ex-ministro Geddel Vieira Lima classificaram como nulas as chances de recuo do peemedebista na disputa pelo governo do estado. No momento, a ala da oposição mais ligada a Geddel evita confirmar publicamente a candidatura, parte de um acordo que elegeu o prefeito ACM Neto (DEM) como porta-voz e líder das negociações entre os partidos da aliança antipetista na Bahia, grupo encabeçado também pelo PSDB. Em tom reservado, caciques dos três partidos ouvidos pela coluna garantiram que a decisão final ainda não saiu porque foi formada uma frente de resistência, formada sobretudo por integrantes do alto escalão democrata, para tentar emplacar o ex-governador Paulo Souto como cabeça de chapa. De acordo com os apoiadores do ex-ministro, Neto trabalha para demover as barreiras surgidas na própria legenda e no ninho dos tucano e definir o nome para brigar na sucessão. (Correio)

DEM tenta convencer Geddel para vaga ao Senado


Embora o prefeito ACM Neto (DEM) tenha declarado que não há nada decidido sobre o candidato da oposição para o Palácio de Ondina, as conversas mostram que um sim do ex-governador Paulo Souto (DEM) teria mobilizado parte do DEM a buscar táticas para convencer o ex-ministro Geddel Vieira Lima a compor a vaga ao Senado. O presidente do PMDB baiano tem colocado desde 2013, o desejo de ser o representante do grupo na cabeça de chapa para as eleições. Nos bastidores, fontes confirmaram que o ex-governador, que até então não havia decidido sobre postular, provocou um movimento ao anunciar para o prefeito e para lideranças do partido, na última semana, que estaria disposto a concorrer. Diante disso, Souto e deputados da sigla teriam se reunido para tratar dos próximos passos políticos, inclusive, discutirem as estratégias para articular a chapa, mantendo a aliança com um dos fiéis da balança, o PMDB. Informações do Tribuna da Bahia.

“Se houver consenso, topo candidatura”, diz Paulo Souto


O ex-governador Paulo Souto participou na manhã desta quinta-feira (16/01), da Lavagem do Bonfim, em Salvador. Na ocasião, o presidente de honra do DEM concedeu entrevista ao site Bahia Notícias. Quando questionado sobre a possibilidade de ser o candidato da oposição nas eleições deste ano, Paulo Souto declarou que “se houver consenso do partido, topo candidatura”. Segundo Souto, tem de haver “meio termo” para que seu nome vá em frente. O ex-governador aproveitou para dizer também que as postagens em sua página no Facebook não têm propósito político. Seria um trabalho de “interação com as pessoas” e “para fazer denúncias”, um espaço cidadão, ainda sem vinculação a uma campanha eleitoral. O ex-governador usou a página para denunciar buracos nas rodovias estaduais baianas.

Anuncio do nome de Paulo Souto para o governo do estado deve acontecer no dia 31 de Janeiro


Ao que tudo indica, o ex-governador Paulo Souto (DEM) será confirmado em breve como o candidato da oposição ao governo da Bahia. A chapa seria complementada com o empresário João Gualberto (PSDB) no posto de vice e o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), como candidato ao Senado. A escolha de Souto leva em conta sua posição até o momento favorável nas pesquisas de intenção de voto, o que lhe confere maiores chances de unificar os oposicionistas. Há possibilidade de que a chapa seja confirmada até o dia 31 deste mês.