Conta de água será reajustada em quase 5%


Foto: Giro Ipiaú

Em 2019, o reajuste tarifário anual para os usuários dos serviços da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) será de 4,7%. Autorizada pela Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado da Bahia (Agersa), a correção é menor do que a expectativa da empresa, que era de 6,22% em função do aumento de seus custos operacionais, e foi baseada somente no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

De acordo com o diretor geral da Agersa, Walter Oliveira, as dificuldades financeiras que o país enfrenta e o bom desempenho da Embasa em 2018 foram determinantes para que o reajuste não chegasse ao patamar informado pela empresa, reduzindo o desconforto para a população baiana. “É justo que a empresa pública compartilhe com os usuários os ganhos de eficiência obtidos no ano passado e, em função disso e de estudos técnicos realizados pela Agência, o reajuste será de apenas 4,7% nas contas de água”. A resolução sobre os novos valores será publicada no Diário Oficial do Estado deste sábado (11) com efeito a partir de domingo , 12, mas só passará a vigorar a partir de 12 de junho.

Petrobras reajusta gás de cozinha em 3,43% a partir de domingo


O último reajuste ocorreu no dia 5 de fevereiro.

A Petrobras vai reajustar em 3,43%, em média, a partir deste domingo, 5, o preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP Residencial), o gás de cozinha, para botijão de 13 quilos (kg) às distribuidoras sem a cobrança de tributos. O preço do botijão de 13kg vai custar R$ 26,20. O último reajuste ocorreu no dia 5 de fevereiro, exatamente há três meses, quando o valor do gás de cozinha subiu para R$ 25,33 para as distribuidoras. Em nota, o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) informou que as empresas distribuidoras associadas à entidade foram comunicadas na tarde de sexta-feira, 03, pela Petrobras que o GLP residencial para embalagens de até de 13 kg ficará mais caro a partir do próximo domingo. Segundo o Sindigás, o reajuste oscilará entre 3,3% e 3,6%, de acordo com o polo de suprimento.