Após mandado judicial, integrantes do MST desocupam área da Mirabela


Mandado de reintegração ocorre pacificamente (Foto:Giro em Ipiaú)
A polícia militar cumpriu na manhã desta sexta-feira (15) o
mandado de reintegração de posse expedido pela justiça de Itagibá, o qual
determinava a desocupação dos integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem
Terras (MST). A área da Mirabela Mineração foi ocupada no último dia 05 de março por mais de 400
mulheres. De acordo com Damasceno dos Santos, um dos coordenadores do
Movimento, atualmente, cerca de 140 pessoas estavam ocupando o local. O Comandante da 55ª CIPM,
Major Jorge Alexandre,  informou ao GIRO
que 40 policiais militares da Companhia e uma guarnição da CIPE Sudoeste foram
designados para a ação, caso houvesse resistência ao mandado. 
Cerca de 50 policiais participam da ação (Foto:Giro em Ipiaú)
A ordem de reintegração de posse foi acompanhada por um representante da OAB-Subseção de Ipiaú, o advogado José Carlos Brito de Lacerda. Segundo Damasceno do Santos, o MST já tinha conhecimento que a justiça havia ordenado a reintegração de posse, mas esperava que fosse cumprida no início do
mês de maio. “A gente sabia que o mandado já tinha sido expedido. O que a gente
não esperava era essa visita hoje (sexta-feira). Existia um combinado com a Casa Militar e
representantes do Governo do Estado para que nós saíssemos daqui só
depois da nossa mobilização em Salvador, na Jornada de Luta do mês de
Abril”, disse Damasceno.
Atualmente a área era ocupada por cerca de 140 pessoas (Foto:Giro em Ipiaú)
A Mirabela disponibilizou um caminhão para transportar
os materiais e um ônibus para o deslocamento dos integrantes do movimento.
Muitos dos integrantes do MST retornarão para suas casas e outros irão para Assentamentos localizados na região. A empresa que explora o níquel sulfetado na zona rural de Itagibá passa por uma série crise financeira e anunciou na semana passada a demissão de todos os funcionários. (Giro em Ipiaú)