Sub-Bacia do Rio Gongogi sofre com crimes ambientais


A vulnerabilidade socioambiental da região onde se localiza a Sub-Bacia do Rio Gongogi, um dos maiores afluentes do Rio das Contas, tem sido motivo de preocupação por parte de diversas entidades ambientalistas. A área apresenta uma importante biodiversidade e tem potencial para o desenvolvimento do ecoturismo. As manifestações culturais da região também se enquadram nesses atrativos. Desmatamentos, matança e trafico de animais silvestres, pesca predatória, queimadas, invasões de áreas de preservação permanente, lixões, esgotos, vinhotos despejados por curtumes e pocilgas e a ausência de políticas ambientais preventivas contribuem para o agravamento do quadro degradante. Diante da situação o “Movimento Boa Nova para a Natureza Sim” e outras ONGs encaminharam um documento ao Presidente da Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Leur Lomanto Jr, solicitando do mesmo apoio urgente no sentido de acionar os Órgãos Ambientais para mitigar estes impactos “crônicos” e fazer jus a Legislação Ambiental em voga. “Estes crimes contra a Natureza, dobram com a “estação do verão” e os Municípios de Dário Meira, Itapitanga, Gongogi, Itagi, Itagibá, Ibicuí, Iguaí, Boa Nova, Poções (entre outros que compõe a sub- bacia) ainda vivem sob forte pressão extrativista/criminosa”, destaca Jônatas Silva Meira , membro do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Contas.(Giro/José Américo Castro).